Queda do petróleo impede Ibovespa de subir por alta de NY e do minério de ferro na China

Apesar da valorização em torno de 1,80% do minério de ferro e da elevação das bolsas de Nova York, o Ibovespa opera no zero a zero na manhã desta quinta-feira, 7, com viés de baixa, enquanto espera as divulgações de indicadores e os eventos desta quinta-feira.

Ao contrário da alta das ações da Vale, as da Petrobras recuam, diante da queda do petróleo no exterior. Além disso, o investidor está à espera do balanço da empresa, que sairá após o fechamento da B3, principalmente em relação a como virão os dividendos.

"O papel de Petrobras está prendendo o Ibovespa. O mercado local não segue uma trilha normal Ibovespa, dólar e algumas taxas de juros futuros caem. Tem um pouco de realização de algumas ações", diz Dennis Esteves, sócio e especialista da Blue3 Investimentos.

Segundo Diego Faust, operador de renda variável da Manchester Investimentos, o Ibovespa está operando de forma lateralizada desde a alta do ano passado. "Ainda assim, estou otimista, está interessante, mesmo sem movimentos tão fortes", afirma.

Conforme Esteves, o mercado está esperando um pouco mais de liquidez para ganhar tração. Em sua visão um resultado em linha com o estimado do relatório de emprego americano, o payroll, que sairá manhã, pode ajudar neste sentido.

"O dado mais importante e aguardado é o payroll", completa o sócio da Blue3.

A depender do payroll e dos sinais da política monetária dos EUA, o Ibovespa pode definir um norte assim como voltar a atrair fluxo de capital estrangeiro. "A saída de investimento do exterior tem pesado. Houve uma frustração em relação a indícios de início da queda dos juros em março. Isso não deve acontecer, mas pode ser em junho", diz Faust, da Manchester.

Nesta quinta-feira, o minério de ferro subiu 1,83% em Dalian, na China, cotado a US$ 123,64 por tonelada, após a divulgação da balança comercial. As exportações do gigante asiático tiveram alta de 7,1% em janeiro e fevereiro ante igual período do ano passado. O resultado ficou bem acima da expectativa de analistas, de avanço de 3,0%.

As bolsas europeias sobem moderadamente e a indicação é de abertura positiva também leve em Wall Street, que ontem fechou com ganhos, após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, dizer que "provavelmente" os juros começarão a cair este ano nos Estados Unidos, a depender dos dados.

Com relação à decisão e juros na zona do euro, o Banco Central Europeu (BCE) decidiu deixar suas principais taxas de juros inalteradas pela quarta vez consecutiva, após concluir reunião de política monetária nesta quinta-feira. Desta forma, a taxa de refinanciamento do BCE permanece em 4,50%, a de depósitos, em 4%, e a de empréstimos, em 4,75%. A decisão veio em linha com a expectativa de analistas. O foco agora se volta para Powell, que volta a participar de audiência, só que no Senado.

Além da expectativa da divulgação do balanço da Petrobras após o fechamento da B3, os investidores avaliam os resultados trimestrais de empresas com 3R Petroleum, CSN e CSN Mineração.

Ontem, o Índice Bovespa fechou com ganho 0,62%, aos 128.890,23 pontos, após duas quedas seguidas.

Às 11h34 desta quinta-feira, cedia 0,24%, aos 128.585,32 pontos, depois de recuar 0,32%, na mínima aos 128.482,17 pontos e de alta de 0,23%, com máxima aos 129.187,69 pontos.. Petrobrás perdia 0,88% (PN) e -0,46% (ON). Vale subia 0,86%.