Setor imobiliário comercial impõe risco significativo a bancos dos EUA, diz presidente da FDIC

Presidente da Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC), Martin Gruenberg classificou que os riscos do setor imobiliário comercial (CRE, na sigla em inglês) representam risco significativo a bancos nos Estados Unidos, assim como as incertezas econômicas e geopolíticas, pressões inflacionárias e volatilidade nos juros dos mercados. A autoridade informou que o lucro líquido do setor bancário teve um declínio de 2,3% em 2023, a US$ 257 bilhões, mas continua acima dos níveis pré-pandemia da covid-19.

Gruenberg falou que as métricas de qualidade dos ativos foram favoráveis no geral, mas frisou que houve uma deterioração evidente nos empréstimos a CRE e em portfólios de cartão de crédito.

"Demanda fraca por escritórios está diminuindo os valores das propriedades, e as taxas de juro mais elevadas estão a afetando a qualidade do crédito e a capacidade de refinanciamento dos empréstimos para escritórios e outros tipos de empréstimos de CRE", observou ele, em discurso sobre os resultados do quarto trimestre de 2023.

A apresentação mostra que o número de bancos classificados como "problema" subiu, de 44 no terceiro trimestre a 52 no fim do ano.

O total de ativos sob posse de bancos problemáticos avançou de US$ 53,5 bilhões para US$ 66,3 bilhões no período. Um banco faliu no quarto trimestre.

Gruenberg destacou que o número de bancos problemáticos representa 1,1% do total de bancos, o que está dentro intervalo 'normal' para períodos sem crise, que é de 1% a 2%.