É preciso manter a calma e esperar até junho para primeiro corte de juros, diz Kazimir, do BCE

O dirigente do Banco Central Europeu (BCE) e presidente do BC da Eslováquia, Peter Kazimir, defendeu nesta segunda-feira (11) que o BCE aguarde até junho para começar a reduzir juros, embora a instituição esteja cada vez mais confiante na trajetória de queda da inflação.

Na semana passada, o BCE deixou seus juros inalterados pela quarta vez seguida, mas sua presidente, Christine Lagarde, disse que discussões sobre o relaxamento da política monetária já tinham começado e que uma série de dados relevantes estaria disponível até junho.

"Saberemos um pouco mais em abril, mas só em junho, com novas previsões em mãos, o nível de confiança chegará ao patamar" desejado, disse Kazimir, em postagem no site do BC eslovaco.

Segundo Kazimir, o quadro atual "claramente" sugere que é preciso manter a calma nas próximas semanas e deixar para anunciar o primeiro corte de juros durante o verão europeu.

Kazimir disse também que a confiança de que a inflação na zona do euro voltará à meta oficial de 2% no próximo ano está "aumentando gradualmente", mas alertou que as pressões salariais seguem muito elevadas, ainda que tenham dado sinais de arrefecimento.