Petróleo fecha em queda, com dólar forte após CPI e depois de Opep manter projeção de demanda

Os preços do petróleo caíram nesta terça-feira, 12, em meio à alta do dólar e depois da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) manter sua previsão de demanda para 2024.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para abril fechou em baixa de 0,47% (US$ 0,37), a US$ 77,56 o barril, enquanto o Brent para maio recuou 0,35% (US$ 0,29), a US$ 81,92 o barril.

Mais cedo, os contratos futuros subiam, na expectativa também pela inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA em fevereiro. O dado, que indicou resiliência, ameaça a possibilidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) cortar juros em junho, segundo a Capital Economics, que espera juros elevados por mais tempo. A visão tende a ser negativa para o petróleo, visto que pode manter o dólar fortalecido por mais tempo.

A Capital pontua que os preços do petróleo devem cair na segunda metade de 2024, conforme a Opep e seus aliados continuem a redução nos cortes voluntários de produção.

Nesta terça, a Opep divulgou seu relatório mensal, em que manteve a expectativa de crescimento da demanda global em 2,2 milhões de barris por dia (bpd), e cortou a previsão de alta na oferta da commodity por países de fora do grupo, enquanto oferta em 2024 deve ser 100 mil bpd menor do que a esperada anteriormente.

Também nesta terça, o Departamento de Energia (DoE) dos Estados Unidos, atualizou sua projeção para o preço do barril do Brent no segundo trimestre e no fim 2024. Para o segundo trimestre, a projeção avançou de US$ 84 o barril para US$ 88. Enquanto isso, no fim deste ano, o DoE espera o Brent a US$ 87, contra US$ 82 anteriormente.