Taxas de juros ficam de lado com dólar e liquidez é reduzida

Os juros futuros rondam a estabilidade na manhã desta quarta-feira, 13, com viés de alta, em sintonia com o dólar em dia de agenda esvaziada, que reduz a liquidez dos negócios. O movimento ocorre em meio a apostas já consolidadas de que o Comitê de Política Monetária (Copom) irá cortar a Selic em 50 pontos-base, para 10,75%, daqui a uma semana, enquanto o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) deve manter no mesmo dia as taxas na faixa de 5,25% a 5,50%.

Às 9h42 desta quarta-feira, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2025 estava em 9,840%, de 9,838% no ajuste de terça. O DI para janeiro de 2026 tinha máxima de 9,685%, de 9,672%, e o para janeiro de 2027 marcava 9,915%, de 9,913% no ajuste da véspera. O DI para janeiro de 2029 tinha máxima de 10,410%, de 10,405%.