Lucro da Cyrela cresce 19% e atinge R$ 248 milhões no 4º tri de 2023

A Cyrela Brazil Realty teve lucro líquido de R$ 248 milhões no quarto trimestre de 2023, alta de 19% ante o mesmo intervalo de 2022, conforme balanço publicado nesta quinta-feira, 14.

A receita líquida totalizou R$ 1,710 bilhão, avanço de 25% na mesma base de comparação anual.

O crescimento dos números é reflexo do aumento do volume de lançamentos e vendas ao longo do ano. A incorporadora também reportou melhora das margens dos lançamentos mais recentes, em comparação com os projetos de 2022, o que ajudou a impulsionar os resultados. Por fim, o resultado oriundo da subsidiária CashMe também foi positivo.

A margem bruta cresceu 2,3 pontos porcentuais, para 33,7%. A margem bruta ajustada aumentou também 2,3 pp, para 35,4%. A margem líquida encolheu 0,7 pp, para 14,5%.

As despesas comerciais subiram 13%, para R$ 176 milhões, enquanto as despesas gerais e administrativas avançaram 8%, indo a R$ 135 milhões. O aumento está associado ao crescimento das operações.

O resultado financeiro (saldo entre receitas e despesas financeiras) gerou uma receita de R$ 34 milhões, alta de 28%.

A incorporadora reportou queima de caixa de R$ 94 milhões no trimestre e R$ 101 milhões no ano.

A Cyrela fechou o quarto trimestre com dívida líquida de R$ 868 milhões, crescimento de 52% na comparação anual.

A alavancagem (medida pela relação entre dívida líquida e patrimônio líquido) aumentou para 10,7% no fim de 2023, de 7,8% no fim de 2022.

A Cyrela já havia divulgado o relatório operacional do período, que foi visto como bastante forte pelos analistas de construção. A incorporadora reportou alta de 19% no volume de lançamentos, totalizando R$ 1,716 bilhão, enquanto as vendas líquidas cresceram 21%, indo a R$ 1,825 bilhão.

"Apesar de termos iniciado o ano com diversas incertezas em relação aos contextos macroeconômicos local e global, fomos capazes de entregar sólidos resultados operacionais e financeiros", afirmou a administração da Cyrela, em sua apresentação de resultados divulgada nesta quinta.

Na parte operacional, a velocidade de vendas ficou em patamares considerados confortáveis, segundo a administração, totalizando 47,2% no fim do ano (ante 47,7%) no fim do ano anterior.

"Mesmo com o crescimento da operação, conseguimos manter as despesas comerciais, gerais e administrativas em níveis controlados", acrescentou.

"Encerramos 2023 satisfeitos com nosso desempenho, mas sabemos que 2024 deverá ser outro ano desafiador. Manteremos nossa estratégia de diferenciação de produtos e seguiremos atentos às melhores oportunidades de mercado", afirmou a Cyrela.