Carga de energia do SIN deve terminar março com alta de 5,7% ante março de 2023

Em meio à nova onda de calor desta semana, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) aumentou a previsão de carga de energia no Sistema Interligado Nacional (SIN) em março para 83.965 megawatts médios (MWmed), alta de 1,5% em relação à estimativa anterior e de 5,7% ante o mesmo mês de 2023.

A projeção do ONS é de aumento em todos os quatro subsistemas do SIN. No Sudeste/Centro-Oeste, principal centro de consumo de energia do País, a carga deve terminar o mês em 48.163 MWmed, elevação de 1,3% frente à projeção divulgada na última semana, e de 5,8% em base de comparação anual.

No Sul, a carga deve terminar março em 14.813 MWmed, montante 1,6% maior do que o projetado anteriormente e crescimento de 1,5% frente ao mesmo mês do ano passado.

Para a região Nordeste, a previsão é que a carga alcance 13.506 MWmed, alta de 2,6% em comparação com a estimativa da semana passada e de 8,8% em relação a março de 2023.

Já no Norte, onde consumidores industriais têm elevado a demanda desde meados do ano passado, a previsão é que a carga termine o mês em 7.483 MWmed, alta de 0,6% frente à estimativa anterior, mas 8,5% maior do que o registrado um ano antes.

Energia Natural Afluente

O ONS revisou para baixo a previsão de Energia Natural Afluente (ENA) para o subsistema Sudeste/Centro-Oeste em março. A estimativa atual é a afluência chegue em 59% da média histórica, redução de 2 pontos porcentuais (p.p.) em comparação com a estimativa do Programa Mensal da Operação (PMO) da semana passada.

O Sudeste/Centro-Oeste responde por aproximadamente 70% da capacidade de armazenamento de água para se produzir energia elétrica para o sistema Interligado Nacional (SIN). Caso a previsão se confirme, a tendência é que os reservatórios da região terminem março em 65,1% da capacidade.

No Sul, a quantidade de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas para se transformar em energia deve ficar em 139% da média, 5 p.p. acima do estimado anteriormente. Deste modo, os níveis dos reservatórios ficarão em 70% da capacidade.

Na região Nordeste, a ENA deve terminar o mês em 61% da média de longo termo, ou 23 p.p. menor do que o projetado anteriormente pelo ONS. Para os reservatórios das hidrelétricas da região, a tendência é que fique em 69,7%.

Já no Norte a ENA foi estimada em 82% da média, estável em relação à projeção da semana passada, fazendo com que os níveis de armazenamento alcancem 93,3% da capacidade no final de março.