Inflação desacelera nos EUA, mas segue muito alta, com rumo adiante ainda incerto, diz Powell

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, afirmou que a inflação nos Estados Unidos desacelerou, mas segue muito elevada e, portanto, o caminho da política monetária no país ainda é "incerto". "A inflação ainda é muito elevada e estamos vendo progressos em seu processo de desaceleração. Não está garantido progresso em andamento e o caminho a seguir é incerto", disse Powell, em coletiva de imprensa, no período da tarde desta quarta-feira, 20, na sequência da decisão do Fed que manteve os juros dos EUA estáveis entre 5,25% e 5,50% ao ano, como amplamente esperado no mercado.

Segundo ele, o Fed segue focado em seu duplo mandato para emprego e inflação, focado em retornar o índice de preços à meta de 2% ao ano. "Nossa postura tem colocado pressão de baixa na atividade e na inflação", acrescentou.

Também em linha com as expectativas de Wall Street, o BC dos EUA manteve a projeção de três cortes de juros para este ano, a despeito de uma inflação resistente e o forte crescimento da economia americana.

"Dirigentes em geral revisaram para cima projeções de crescimento", destacou Powell, a jornalistas.

A projeção do Fed para o núcleo do índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) foi elevada para 2,6%, de 2,4% em dezembro. O indicador exclui itens voláteis como os preços de alimentos e energia. Por sua vez, a estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA subiu para 2,1% contra 1,4%, nesta ordem.