Lucro da Fonterra aumenta 23% no 1º semestre fiscal, para US$ 409,8 milhões

A companhia de lácteos Fonterra, da Nova Zelândia, obteve lucro depois de impostos de 674 milhões de dólares neozelandeses (US$ 409,8 milhões) no primeiro semestre de seu ano fiscal 2024, encerrado em 31 de janeiro, informou a empresa. O resultado é 23% maior do que o registrado em igual período do ano fiscal anterior, de 546 milhões de dólares neozelandeses (US$ 1 = 1,6447 dólar neozelandês).

O CEO da Fonterra, Miles Hurrell, disse em comunicado que o desempenho refletiu margens mais altas e volumes maiores nos canais de foodservice e do consumidor. Isso foi parcialmente compensado por retornos mais baixos em ingredientes.

Em termos ajustados, o lucro cresceu 21%, para 740 milhões de dólares neozelandeses. A receita ficou em 11,257 bilhões de dólares neozelandeses, baixa de 15% na mesma comparação.

As Operações do Grupo tiveram lucro depois de impostos de 102 milhões de dólares neozelandeses, queda de 60% na comparação anual. No segmento Mercados Globais, o lucro depois de impostos foi de 380 milhões de dólares neozelandeses, aumento de 153%. Na Grande China, o lucro aumentou 68%, para 232 milhões de dólares neozelandeses.

A Fonterra anunciou que vai pagar dividendo semestral de 15 centavos de dólar neozelandês por ação.

A estimativa de preço ao produtor para a temporada 2023/24, iniciada em 1º de junho, passou para um intervalo de 7,50 a 8,10 dólares neozelandeses por quilo de sólidos de leite. A projeção anterior era de uma faixa de 7,30 a 8,30 dólares neozelandeses.