Na China, vice-presidente do PBoC sugere mais flexibilização monetária

O vice-presidente do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês), Xuan Changneng, sugeriu nesta quinta-feira, 21, que haverá mais flexibilização monetária e pediu mais apoio à inovação tecnológica, enquanto o governo do país amplia os esforços para estimular a economia e o setor produtivo.

Xuan afirmou que ainda há espaço para reduzir a quantidade de dinheiro que os credores devem manter em suas reservas e acrescentou que o PBoC deverá lançar um novo mecanismo de empréstimo voltado ao setor industrial e à economia digital.

O vice-presidente do PBoC disse ainda que a China tem uma riqueza de ferramentas de política monetária à disposição, e que a queda nas taxas de juros nas principais economias do mundo tornarão a política monetária chinesa mais independente.

O corte mais recente na taxa de compulsórios (RRR) foi anunciado inesperadamente pelo presidente do BC, Pan Gongsheng, em conferência de imprensa em janeiro. No mês seguinte, houve uma agressiva redução em uma importante taxa de referência (LPR), que surpreendeu os analistas.

Apesar de ter sinalizado para um novo corte da RRR, o jornal estatal Shanghai Securities News afirmou que dirigentes do banco central chinês estão em "período de observação" dos dados econômicos. Fonte: Dow Jones Newswires.