Petróleo prolonga queda com correção de máxima em 5 meses e diante da valorização do dólar

O petróleo fechou em queda nesta quinta-feira, 21, prolongando as perdas para a segunda sessão, à medida que o dólar se valoriza com reações à sinalização sobre o rumo da taxa de juros nos Estados Unidos. O desempenho ocorre após os contratos do WTI e Brent terem renovado, na terça-feira, as máximas intradiárias desde novembro de 2023.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para maio fechou em queda de 0,25% (US$ 0,20), a US$ 81,07 o barril, enquanto o Brent para maio recuou 0,20% (US$ 0,17), a US$ 85,78 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

O dólar era cotado em alta nesta quinta-feira. Esse fortalecimento torna a commodity, negociada com base na moeda americana, mais cara para os detentores de outras divisas. Na véspera, o dólar recuou sob impacto das declarações do presidente do Fed, Jerome Powell, e da manutenção da projeção de três cortes de juros pelo BC americano neste ano.

O petróleo retrocede, mas mantém uma tendência de alta para o curto prazo, escreveu em nota o analista de mercados da ActivTrades, Alexander Londoño. "A zona de US$ 80,00 poderia atuar como suporte para o petróleo WTI", disse Londoño. O Brent poderia encontrar um suporte nos US$ 84 por barril, completou. Esse nível era considerado como uma resistência, mas agora pode ter mudado para a função para suporte.

* Com informações da Dow Jones Newswires