Presidente do BB defende foco em evolução tecnológica 'sem abrir mão das pessoas'

A presidente executiva (CEO) do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros, avalia que a pandemia exigiu uma aceleração digital nas empresas, com uma rápida necessidade de adequação tecnológica. No entanto, ela defende que é preciso focar nessa evolução, mas junto à atuação humana.

"Depois da pandemia, com a aceleração digital, houve a necessidade de se adequar rapidamente. Mas focamos na evolução tecnológica sem abrir mão das pessoas. Colocamos pessoas a serviço das pessoas", disse Medeiros, durante painel no South Summit Brazil, em Porto Alegre, no período da manhã desta quinta-feira.

Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração da Magazine Luiza, concorda. "O digital é uma cultura, não uma escolha. Mas temos que estar onde o cliente estiver, e nunca as pessoas foram tão importantes", afirmou a executiva.

Ela comentou que o cliente se incomoda quando o contato no atendimento digital é apenas com robôs, por exemplo. "O atendimento é um diferencial, seja ele digital ou fisicamente. E o diferencial é a forma como a gente inova."

Mas a tecnologia é vista como essencial para os negócios das duas empresas. "O Brasil tem o melhor sistema financeiro do mundo, nós vendemos e exportamos tecnologia bancária. No banco, temos alta capacidade de processamento; a cada 9 segundos, pelo menos 10 mil Pix são processados", conta Medeiros.

Trajano, por sua vez, destaca que a varejista "precisa estar onde o cliente estiver", inclusive com as lojas físicas. "Vamos continuar tendo loja física, isso não vai acabar, mas vai ter uma nova roupagem", destacou.

*A repórter viajou a convite da organização da South Summit