Taxas futuras de juros devolvem alta da abertura e operam com viés de baixa

As taxas de juros negociadas no mercado futuro abriram com indicação em alta, alinhadas ao fortalecimento do dólar na abertura, mas perderam fôlego logo nos primeiros minutos de negociação desta sexta-feira, 22. As taxas dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) passaram a registrar estabilidade em todos os vencimentos, com viés de baixa nas pontas curta e intermediária. Embora o dólar siga valorizado no exterior, as taxas dos Treasuries reforçaram o sinal de baixa há instantes, favorecendo o alívio dos prêmios por aqui.

Segundo profissionais do mercado, há especial expectativa nesta manhã pela divulgação do relatório fiscal bimestral de receitas e despesas, com intensa especulação acerca da possibilidade de bloqueio de despesas. Também há expectativa pela fala do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, em evento às 10h, mesmo horário do relatório fiscal no Brasil.

Às 9h26, o contrato de DI para janeiro de 2025 tinha taxa de 9,920%, ante 9,932% do ajuste de quinta-feira. O DI para janeiro de 2026 projetava 9,84%, contra 9,85% do ajuste anterior. E a taxa do DI para janeiro de 2027 estava em 10,07%, de 10,08%. Na ponta mais longa, o DI para janeiro de 2029 tinha taxa de 10,56%, a mesma do ajuste anterior.