China desafia plano de subsídios dos EUA para veículos elétricos na OMC

A China anunciou nesta terça-feira (26) que apresentou uma queixa à Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre o que alega serem exigências discriminatórias dos Estados Unidos para a concessão de subsídios a veículos elétricos.

A partir deste ano, compradores de carros nos EUA não poderão mais receber isenções fiscais de US$ 3.750 a US$ 7.500 se minerais cruciais ou outros componentes de baterias tenham sido produzidos por empresas chinesas, russas, norte-coreanas e iranianas. Os incentivos fazem parte do Inflation Reduction Act, lei de transição energética promulgada pelo presidente dos EUA, Joe Biden, em 2022.

Em comunicado, o Ministério de Comércio chinês afirma que os EUA formularam políticas de subsídio discriminatórias para veículos eletrificados como forma de responder aos desafios das mudanças climáticas.

Ainda segundo o ministério, os EUA excluíram produtos chineses, distorceram a concorrência justa e prejudicaram a cadeia de abastecimento mundial de veículos eletrificados.

A China é o maior fornecedor global de baterias para veículos elétricos.

De acordo com regras que entraram em vigor em 1 de janeiro, apenas 13 dos mais de 50 veículos elétricos à venda nos EUA são candidatos a incentivos fiscais, ante mais de duas dezenas de modelos que se qualificavam em 2023. Fonte: Associated Press.