Bolsas da Europa fecham em alta e Frankfurt e Paris renovam recordes; H&M salta 15%

Os mercados acionários da Europa encerraram a sessão em alta, com Frankfurt como destaque ao prolongar a sequência de fechamentos em máximas recordes. Paris perdeu fôlego no fim do pregão, mas também renovou sua máxima histórica de fechamento. Em Madri, o Ibex superou os 11.000 pontos, o que não ocorria desde 2007, segundo o jornal Expansión. O clima continuou embalado por dados regionais, como o que apontou melhora acima do esperado do sentimento na zona do euro. O ambiente mais promissor também tem sido retratado nos balanços. A varejista de moda Hennes & Mauritz (H&M) disparou com resultado trimestral acima do esperado.

Em Frankfurt, o DAX subiu 0,49%, com o índice referencial alemão atingindo a marca inédita de 18.475,06 pontos no fechamento. Na máxima intradiária, o índice marcou 18.511,17 pontos. Em Londres, o índice FTSE 100 encerrou com variação de 0,01%, aos 7.931,98 pontos. O CAC 40, de Paris, avançou 0,25%, aos 8.204,81 pontos, patamar recorde, desacelerando da máxima histórica intradiária de 8.230,38 pontos registrada mais cedo. As cotações são preliminares.

O índice de sentimento econômico da zona do euro subiu acima do esperado, de 95,5 em fevereiro a 96,3 em março, segundo a Comissão Europeia. No Reino Unido, o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) avaliou que o cenário econômico melhorou desde dezembro de 2023, mas alertou que alguns riscos para a estabilidade financeira global têm aumentado, em relatório trimestral divulgado hoje. Entre eles, o banco central destacou a distorção nos preços de ativos de capital privado, que podem sofrer uma correção "acentuada" e ampliar spreads de crédito.

Entre ações individuais, destaque para a Hennes & Mauritz (H&M), cuja ação saltou 15,2% em Estocolmo. A empresa sueca afirmou que as suas coleções de Primavera foram bem recebidas, ampliando as vendas a partir de fevereiro. O início de ano otimista foi aplaudido pelos investidores, que procuravam sinais de recuperação na H&M sob o comando do novo CEO, Daniel Ervér. Nos três meses encerrados em 29 de fevereiro, o lucro líquido da empresa foi de 1,21 bilhão de coroas suecas, equivalente a cerca de US$ 114 milhões, acima dos 541 milhões de coroas suecas do ano anterior.

Os demais mercados da região também acompanharam o desempenho positivo. O Ibex 35, de Madri, subiu 1,09%, aos 11.111,30 pontos, com a Inditex, proprietária da Zara, entre as cinco principais altas porcentuais, após avançar 2,30%.

O PSI 20, de Lisboa, fechou com alta de 0,88%, aos 6.276,69 pontos. Em Milão, o FTSE MIB avançou 0,21%, aos 34.759,69 pontos.

*Com informações da Dow Jones Newswires