Haddad diz esperar que o BC não se assuste com número de empregos gerados

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse nesta quarta-feira, 27, que espera que o Banco Central não se assuste com o número de empregos gerados no Brasil, em referência a uma possível mudança no curso do afrouxamento monetário executado pela autoridade. Em participação no Fórum Econômico Brasil-França, Haddad celebrou também os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que indicaram geração "robusta" de empregos no Brasil.

"Geramos empregos acima das médias do ano passado", afirmou Haddad, ao pontuar que o número deve permanecer fortalecido neste ano.

Ele destacou também o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e pontuou que a inflação nacional tem regredido enquanto o crescimento do PIB permanece robusto. "Uma economia pode crescer com inflação baixa", disse, ao enfatizar que é isto que a economia brasileira vem perseguindo.