Não vemos como apropriado cortar juros até estarmos confiantes com inflação, diz Powell, do Fed

O presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, afirmou nesta sexta-feira, 29, que os dirigentes não veem como apropriado cortar as taxas de juros até conquistarem confiança de que a inflação americana está em trajetória de queda sustentada. Powell reforçou o objetivo de atingir estabilidade da alta de preços em 2% e que, atualmente, existem riscos elevados de ambos os lados.

"Se cortarmos cedo demais, podemos provocar repique da inflação e não queremos isso. Por outro lado, esperar demais pode trazer riscos à atividade econômica", ressaltou o presidente do BC americano.

Powell defendeu que a política monetária está "bem posicionada" para reagir a diferentes cenários e, por isso, o Conselho Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) não precisa apressar a flexibilização monetária. "Podemos esperar porque a economia está forte e vemos alguns sinais de redução da inflação", afirmou, notando que a inflação de gastos com consumo (PCE, em inglês) de março veio em linha com as expectativas. "Há muitas pessoas que acham que não deveríamos cortar juros. E não estamos prometendo nenhuma das duas coisas, estamos dizendo que vamos esperar."