Bolsas da Europa operam sem direção única, após CPI da zona do euro abaixo do esperado

Por Sergio Caldas

São Paulo, 03/04/2024 - As bolsas europeias operam sem direção única na manhã desta quarta-feira, enquanto investidores digerem os últimos dados de inflação da zona do euro, que vieram abaixo do esperado e melhoram as chances de que o Banco Central Europeu (BCE) sinta confiança de reduzir juros nos próximos meses.

Por volta das 6h45 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 tinha leve avanço de 0,12%, a 509,16 pontos.

A taxa anual de inflação ao consumidor (CPI) da zona do euro desacelerou para 2,4% em março, segundo cálculo preliminar da Eurostat, vindo abaixo da expectativa de analistas, que previam repetição da taxa de 2,6% de fevereiro.

Há várias semanas, dirigentes do BCE vêm repetindo que estão em busca de novos sinais de que a inflação se move "de forma sustentável" para a meta oficial de 2% para considerar a hipótese de cortes de juros. De modo geral, a sinalização é de que a primeira redução de juros poderá vir em junho.

Ainda na zona do euro, a taxa de desemprego ficou inalterada em fevereiro ante o mês anterior, em 6,5%, bem próxima da mínima histórica de 6,4%.

Nas próximas horas, investidores na Europa vão acompanhar dados econômicos dos EUA em meio a preocupações de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) possa deixar para começar a reduzir seus juros apenas no segundo semestre, fator que ajudou a derrubar as bolsas de Nova York ontem. Vários dirigentes do Fed, incluindo seu presidente, Jerome Powell, falam em eventos ao longo do dia.

Às 7h (de Brasília), a Bolsa de Londres caía 0,39%, a de Paris subia 0,28% e a de Frankfurt avançava 0,29%. Já as de Milão e Madri tinham ganhos de 0,14% e 0,22%, respectivamente, enquanto a de Lisboa recuava 0,21%.

Contato: sergio.caldas@estadao.com