Dirigente do Fed prega atenção com preços da habitação nos EUA para ter confiança com meta

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Chicago, Austan Goolsbee, afirmou nesta quinta-feira, 4, que está bastante atento à trajetória dos preços no setor de habitação dos Estados Unidos. Segundo ele, é importante que esses preços percam fôlego, para que o dirigente ganhe mais confiança de que a inflação no país retornará de fato à meta de 2% do Fed.

Sem direito a voto nas decisões de política monetária neste ano, Goolsbee respondeu a questões em evento realizado por Câmaras de Comércio da região da distrital.

Ele comentou que a inflação no setor de habitação "ainda precisa cair", para que o quadro geral pareça melhor.

Sobre a inflação em geral, destacou que ela está "claramente muito abaixo do pico", mas acrescentou que houve "sobressaltos recentes", com números mais altos em janeiro e fevereiro, os quais para ele não devem ser simplesmente descartados como um ruído. Ao mesmo tempo, citou que os riscos à inflação e ao emprego estão "em um melhor equilíbrio" agora.

Goolsbee avaliou que o mercado de trabalho "continua muito forte, mas caminha para um maior equilíbrio". Sobre a trajetória dos salários, recordou que é importante saber como caminhará a produtividade, para se saber se pode haver ganhos nos salários sem provocar inflação.

O presidente do Fed de Chicago mencionou o risco de choques externos, que segundo ele já descarrilaram quadros de "pouso suave" inclusive aparentemente mais fáceis que o atual dos EUA. No plano interno, destacou o fato de que os consumidores se mostraram mais resilientes que o antes esperado.

Goolsbee também avaliou que a política monetária está "muito restritiva", e acrescentou que a questão agora é quanto ficará nessa faixa. Ele não mencionou, porém, meses potenciais para corte de juros pelo Fed.