Bolsas da Europa fecham na maioria em alta, de olho em CPI dos EUA e apoiadas por bancos

As bolsas da Europa fecharam na maioria em alta nesta quarta-feira, 10, em sessão atenta à divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) norte-americano de março. A inflação acima do esperado reforçou a perspectiva de juros em um nível elevado por mais tempo por parte do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), pressionando os papéis. Por outro lado, as ações de bancos tiveram um desempenho forte no continente, e deram suporte aos índices.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,12%, a 506,45 pontos.

O CPI, junto com o payroll (dado de emprego) mais forte que o esperado, praticamente mata as esperanças de um corte de juros em junho pelo Fed, afirmou a Capital Economics.

A consultoria destacou o terceiro avanço mensal consecutivo de 0,4% no núcleo do CPI, além da manutenção da taxa anual do núcleo em 3,8% e o repique da taxa anual do índice cheio a 3,5%.

No monitoramento do CME Group, a chance de um corte aparecia como majoritária apenas para setembro, com 73,8% de possibilidade de algum corte, sendo 26,2% por manutenção.

Na quinta-feira, 11, será a vez de o Banco Central Europeu (BCE) anunciar decisão de juros. A previsão é que o BCE irá manter as taxas, também pela quinta vez seguida, mas preparar o terreno para uma redução inicial em junho.

A expectativa do Banca Mediolanum é de que o BCE adote uma postura "dovish" na decisão da quinta-feira e prepare o terreno para um primeiro corte de juros na reunião seguinte, em junho. Em seguida, o banco italiano espera mais reduções da taxa básica em julho, setembro, outubro e dezembro.

Entre as ações, o HSBC subiu 3,07% em Londres, ajudando o FTSE 100 a avançar 0,33%, a .7961,21 pontos. Em Milão, Banca Monte Paschi Siena teve alta de 4,83% junto de outros bancos, impulsionando o FTSE MIB a subir 0,27%, a 34.039,63 pontos.

O DAX ganhou 0,11% em Frankfurt, a 18.095,96 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 teve alta de 0,06%, a 6.279,78 pontos.

Por outro lado, o Ibex 35 caiu 0,38% em Madri, a 10.775,00 pontos, na sua quarta queda consecutiva, enquanto o CAC 40 teve baixa de 0,05%, a 8.045,38 pontos, em Paris.

Em Zurique, as ações do UBS caíram 2,95%, após a notícia de que o banco enfrentará regras de capital mais duras depois de uma revisão bancária do governo suíço.

*Com informações Dow Jones Newswires.