Emissão de empréstimos na China recua a 12,93 trilhões de yuans no 1º trimestre

Os bancos e outras instituições financeiras da China emitiram um menor volume de empréstimos no primeiro trimestre de 2024 do que em igual período do ano passado, segundo dados oficiais publicados nesta sexta-feira, 12. Levantamento do banco central chinês (PBoC, pela sigla em inglês) mostra que o financiamento social total, que inclui crédito não bancário, somou 12,93 trilhões de yuans (US$ 1,787 trilhão) entre janeiro e março, representando queda de 1,61 trilhão de yuans em relação aos três primeiros meses de 2023.

Já os novos empréstimos bancários totalizaram 9,46 trilhões de yuans no primeiro trimestre, informou o PBoC, que no mês passado parou de divulgar dados mensais sobre crédito bancário e financiamento social.

Cálculos do The Wall Street Journal baseados em dados do PBoC indicam que o financiamento social total ficou em 4,87 trilhões de yuans apenas em março, enquanto os novos empréstimos somaram 3,09 trilhões de yuans, vindo abaixo do consenso de 3,5 trilhões de yuans de analistas consultados pelo WSJ.

A base monetária da China (M2), por sua vez, teve acréscimo anual de 8,3% em março, menor do que o ganho de 8,7% observado em fevereiro. Fonte: Dow Jones Newswires.