Se inflação se mostrar mais persistente, Fed pode manter juros por mais tempo, diz dirigente

O vice-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Philip Jefferson, alertou que poderá ser apropriado manter juros no nível atual "por mais tempo" nos Estados Unidos, caso dados sugiram uma inflação mais persistente do que ele atualmente estima. "Embora tenhamos visto progresso considerável em diminuir a inflação, a tarefa de levá-la de forma sustentável a 2% ainda não acabou", declarou nesta terça-feira, reafirmando que está "inteiramente comprometido" com essa meta.

O seu cenário base, porém, é de que o nível de preços vai arrefecer, com as taxas de política monetária mantidas no nível atual, e que o mercado de trabalho permanecerá forte, com oferta e demanda continuando a entrar em equilíbrio.

Ele frisou, de qualquer modo, que as perspectivas para a economia seguem bastante incertas.

Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), sua projeção é de que o crescimento vai desacelerar neste primeiro trimestre ante o último de 2023, mas seguir sólido, "como indicou o avanço robusto nas vendas do varejo em fevereiro e março".

Os comentários de Jefferson foram feitos durante discurso no Fórum Internacional de Pesquisa em Política Monetária, em Washington, no período da manhã desta terça-feira.