Nada é mais imprescindível para sociedade se desenvolver do que crédito, diz Lula

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, disse nesta segunda-feira, 22, que as pessoas precisam ter acesso ao sistema financeiro. "Não tem nada mais imprescindível para uma sociedade, qualquer que seja ela, se desenvolver, se ela não tiver condições de ter oportunidade e se ela não tiver crédito", declarou.

Ele deu a declaração no lançamento do programa Acredita, voltado para crédito, no Palácio do Planalto.

De acordo com o presidente, os bancos não estão preparados para receber pessoas pobres.

Lula disse que pessoas que precisam emprestar grandes quantidades de dinheiro têm mais facilidade do que as que precisam retirar pouco.

"É muito difícil, não tem banco para a gente entrar. Porque banco não foi preparado para receber pobre", comentou o presidente da República.

Lula também disse que seu governo deve organizar um canal por telefone para que usuários possam levar suas reclamações sobre o funcionamento do novo programa. "Não sei se é no ministério do Márcio França, ministro do Empreendedorismo, a gente deveria criar uma espécie de um 190, um 180. Um telefone para que as pessoas pudessem telefonar e se queixar se as coisas não estiverem acontecendo. Porque muitas vezes as pessoas não têm a receptividade que elas imaginavam que iam ter e não têm para quem reclamar."

Segundo Lula, é preciso "um lugar para o povo colocar pra fora suas angústias".

Diálogo com Congresso

O presidente disse também que a Medida Provisória (MP) do Acredita só será aprovada se houver diálogo com o Congresso. "A gente vai mandar essa medida provisória, eu estou muito otimista. Mas essa medida provisória, quando chegar no Congresso Nacional... tem 513 deputados, nem todo mundo é obrigado a concordar com nossos artigos. Tem pessoas que vão querer mudar. A gente vai xingar? A gente vai achar ruim? Não", comentou.

E declarou: "A gente vai ter que colocar o governo para conversar, e se for preciso, da ajuda de você para conversar com os deputados. Por que se não, a gente não aprova. E eu acho que sem crédito esse país não vai a lugar nenhum."

Lula disse que não falaria sobre os juros para não tirar o foco do programa acredita. "Eu não quero nem falar de juros e outras coisas porque se não a manchete do jornal será essa e não o programa Acredita."

Em seguida, declarou que "ninguém falou mal de juros, todo mundo sabe que está difícil".

Lula também voltou a dizer que o País vai crescer mais do que as previsões do mercado financeiro. "Quero alertar pessimistas que Brasil crescerá em 2024 mais do que vocês falaram até agora."