Ouro fecha em queda de mais de 2%, com realização de lucros após rali e sem escalada de tensões

O ouro fechou em baixa de mais de 2%, com realização de lucro após rali elevar o preço do metal em 13% desde o início do ano. Uma moderação na aversão a risco global também incide sobre o ouro, à medida que as tensões entre Israel e Irã permanecem contidas.

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para junho fechou em queda de 2,79%, a US$ 2.346,40 a onça-troy, novo recorde histórico.

Parece que a realização de lucros começou, afirma a SP Angel em nota. Na visão da consultoria, muitas mineradoras de ouro agora estarão vendendo a prazo com os novos altos níveis de preços, a fim de garantir os lucros diante da inflação.

O fluxo de entrada de toneladas substanciais de novos metais preciosos nos mercados futuros provavelmente atenuará novos aumentos de preços, acrescenta a SP Angel.

No front da geopolítica, a perspectiva de estabilidade nas tensões no Oriente Médio, sem novos ataques grandes por parte de Israel ou Irã, permite aos ativos de risco tomar fôlego, em detrimento dos investimentos tidos como mais seguros - o caso do ouro.

"Nenhuma nova má notícia é uma má notícia para posições bullish quem aposta na alta no ouro", diz o analista Nicki Shiels, estrategista de metais da MKS PAMP.

*Com informações da Dow Jones Newswires