Bolsas de Nova York fecham em alta, apoiadas por ganhos da Tesla e de olho em balanços

As bolsas de Nova York fecharam com leve avanço nesta segunda-feira, depois de devolverem parte dos ganhos de mais cedo com a divulgação do relatório trimestral de refinanciamento do Tesouro dos Estados Unidos. Investidores agora aguardam os balanços trimestrais da semana e a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), na quarta-feira.

No fechamento, o índice Dow Jones subiu 0,39%, aos 38.387,06 pontos; o S&P 500 teve alta de 0,32%, aos 5.116,15 pontos; e o Nasdaq ganhou 0,35%, aos 15.983,08 pontos.

Pela manhã, os índices abriram em alta, apoiados pelo dado da inflação do PCE nos EUA em março em linha com o esperado na sexta-feira. Também, o avanço robusto da Tesla - que subia mais de 12% pela manhã, e fechou com ganhos de 15,31% - sustentou o apetite por risco, na esteira de notícias sobre a visita do CEO da companhia, Elon Musk, à China.

Os avanços se mantiveram até perto do horário do fechamento, quando o Tesouro dos EUA anunciou a estimativa de que tomará US$ 243 bilhões emprestado no mercado no segundo trimestre, mais do que havia sido anunciado anteriormente. Com isso, as bolsas devolveram ganhos e chegaram a flertar com o negativo, embora tenham voltado a subir logo depois.

Louis Navellier, da gestora Navellier, escreve que o mercado está entrando na semana mais importante para os resultados trimestrais. Ele destaca que um terço do S&P 500 e 20% do Dow Jones divulgam resultados esta semana, o que dará uma visão mais clara do cenário nos três meses iniciais de 2024.

O começo dos resultados, segundo ele, foi difícil, mas os ventos parece mudar à medida que as empresas dos Sete Magníficos e do setor de tecnologia publicam balanços. Nesta semana, Amazon e Apple reportam lucros.

Em destaque, os papéis da Boeing subiram 3,77%, após a emissão de cerca de US$ 8 bilhões em bonds da empresa ter registrado demanda forte entre investidores.

As ações da Philips saltaram 26,77%. A companhia divulgou balanço nesta segunda-feira, e informou que chegou a um acordo de US$ 1,1 bilhão nos EUA relacionado aos seus ventiladores Respironics, o que apoiou sua orientação para o ano inteiro.