Precisamos melhorar recuperação de crédito; via judicial é custosa, diz Campos Neto

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, reforçou nesta segunda-feira, 29, a necessidade de melhorar a recuperação de crédito no Brasil, já que, segundo ele, o processo por meio do Judiciário costuma ser demorado e custoso. Ele citou que a recuperação de crédito no Brasil é muito baixa, estando abaixo, por exemplo, de Haiti, Burundi, Malawi e Venezuela.

"Fato de ser judicial é uma jabuticaba brasileira. Já melhorou alguma coisa, mas tem muito para acontecer aqui", disse Campos Neto, ao citar que a implementação do Drex, versão digital do real, pode melhorar esse cenário. A declaração foi dada durante palestra no Painel Econômico, promovido pelo Insper, em São Paulo. A mediação é feita pelo economista e ex-presidente do Insper, Marcos Lisboa.

Durante o evento, Campos Neto afirmou ainda que a desinflação chinesa não é relevante para o Brasil, ao ser questionado sobre a economia do país asiático.