Após cair, Ibovespa sobe com alta em NY e das commodities

Após ceder mais cedo, o Ibovespa renovou a máxima na manhã desta segunda-feira, 6, no campo positivo. O movimento ocorreu em meio à alta das bolsas internacionais e com a valorização das ações ligadas ao petróleo e minério, que subiu 2,63% em Dalian, na China, na volta do curto feriado por lá.

Os demais ativos brasileiros também têm oscilações moderadas, em compasso de espera pela decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), na quarta-feira. "Faltam motivadores", afirma o estrategista-chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus.

Outro ponto positivo é a virada de déficit para superávit primário de fevereiro para março nas contas do setor público consolidado, o que ajuda a aliviar um pouco o prognóstico para o ano, apesar das atenções estarem focadas na possibilidade de novos gastos federais em ajuda ao Rio Grande do Sul, em meio ao desastre por contas das enchentes por lá.

No Índice Bovespa, destaque para o recuo de quase 15% nas ações da Braskem e de -3,70% da Minerva, além de virada para o positivo dos papéis da Petrobras.

No caso da petroquímica, a empresa informou nesta segunda-feira que a petroleira de Abu Dhabi Adnoc não tem interesse em continuar as tratativas com a Novonor (ex-Odebrecht), controladora da Braskem, para compra da fatia da empresa na petroquímica.

Já em relação ao frigorífico, o BTG Pactual rebaixou a recomendação para as ações da Minerva de compra para neutra, com preço-alvo de R$ 8.

Enquanto nas bolsas internacionais ecoa a possibilidade de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) cortará juros ainda neste ano, aqui os investidores esperam a decisão do Copom. As apostas para a taxa Selic, que está em 10,75% ao ano, estão divididas entre corte de 0,50 ponto e 0,25 ponto porcentual, o investidor ainda monitora as questões fiscais e o avanço na projeção da inflação em 2025 na pesquisa Focus.

Na opinião de Luiz Roberto Monteiro, operador da mesa institucional da Renascença, os mercados locais adotam certa cautela, em meio à espera da decisão sobre juros no Brasil, na quarta. "Tensão pré-Copom. Deixam as barbas de molho", diz

Na volta do feriado na China, o minério de ferro subiu 2,63% nesta segunda e o petróleo avança em torno de 0,80%%, monitorando o conflito entre Israel e o Hamas, além da decisão da Saudi Aramco, estatal petrolífera da Arábia Saudita, de elevar os preços da commodity em junho para clientes do noroeste da Europa, da Ásia e do Mediterrâneo.

Os investidores ainda monitoram o noticiário sobre as empresas e a safra de balanços. Nesta segunda-feira, saiu o resultado da BB Seguridade e após o fechamento da B3, sairão Itaú Unibanco e TIM.

Às 10h48, o Ibovespa subia 0,28%, aos 128.869,57 pontos, na máxima, ante abertura aos 128.505,57 pontos (variação zero) e mínima aos 128.293,68 pontos (-0,17%). Vale subia 0,34% e Petrobras avançava entree 0,90% (ON) e 1,21% (PN). As ações de grandes bancos também tinham elevação.