Gleisi critica decisão do Copom de reduzir ritmo de corte da Selic: 'Crime contra o País'

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou nesta quarta-feira, 8, em suas redes sociais, que a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de reduzir o ritmo de cortes na taxa básica de juros, a Selic, é um "crime contra o País". A deputada também chamou a diretoria do Banco Central de "bolsonarista", em referência aos diretores indicados pelo governo anterior, e criticou a autonomia da autarquia.

"É um crime contra o país a decisão do Copom, de cortar apenas 0,25 ponto da maior taxa de juros do planeta. Não há fundamento econômico para isso e houve divergência de 4 diretores nessa decisão", publicou Gleisi, no X (antigo Twitter).

"A inflação está sob controle e em queda, o ambiente de investimentos melhora, os empregos também. O nome disso é sabotagem. Contra o desenvolvimento, contra o Brasil. Esta é a consequência da 'autonomia' do BC, que permitiu o prolongamento do mandato de uma direção bolsonarista, que faz política e oposição ao governo eleito pelo povo", emendou a deputada.

O Copom reduziu a taxa Selic em 0,25 ponto porcentual nesta quarta-feira, interrompendo um ciclo de seis cortes consecutivos de 0,50 pp. Os juros básicos da economia caíram de 10,75% para 10,50% ao ano, em decisão dividida dos nove membros do colegiado - os quatro indicados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva votaram por um corte de 0,50 p.p., enquanto os diretores mais antigos preferiram reduzir o ritmo de relaxamento monetário.