Ouro sobe, em cenário de fraqueza do dólar e de olho em compras por BCs

O preço do ouro avançou nesta quinta-feira, 9, em quadro de fraqueza do dólar e diante de uma demanda elevada pela commodity entre bancos centrais.

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para junho fechou em alta de 0,78%, a US$ 2.340,30 a onça-troy.

"A assimetria ascendente está de volta aos mercados de ouro" escreve o TD Securities, que aponta o nível de preço do metal ainda elevado, com margem para ser catapultado ainda além conforme aumenta a convicção do mercado pelos cortes de juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

Nesta quinta, os dados de auxílio-desemprego norte-americanos na semana acima da expectativa alimentaram expectativas por afrouxamento no setor de empregos nos Estados Unidos, embora a Oxford Economics alerte que uma leitura de dados não possa ser tomada como regra. Após o dado, o dólar perdeu força contra divisas desenvolvidas e não ofereceu resistência à alta do ouro, que ampliou levemente os ganhos.

Diretor de câmbio da Ourominas, Mauriciano Cavalcante pontua que o nível de compra de ouro por bancos centrais, principalmente o chinês, permanece elevado e sustenta os preços da commodity.

Além disso, a ainda existente desconfiança com os próximos movimentos do Fed alimentam a busca por ativos de segurança, diz ele, o que mantém o mercado de ouro em oscilação, com volatilidade elevada.