ANP reduz flexibilizações de mistura só para Canoas, Esteio, Rio Grande e Santa Maria

A diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) decidiu nesta sexta-feira, 10, reduzir a abrangência da flexibilização temporária da mistura de biodiesel ao óleo diesel e do etanol à gasolina a apenas as quatro cidades mais afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul, devido à percepção de que a situação do abastecimento no restante do Estado se estabilizou.

A partir desta sexta, as flexibilizações valem apenas para os municípios de Canoas, Esteio, Rio Grande e Santa Maria, informou a ANP. Os porcentuais da mistura dos biocombustíveis foram mantidos.

No último dia 4, a agência anunciou que em todo o Estado, a mistura de etanol anidro na gasolina poderia ser de 21%, em substituição ao porcentual de 27% hoje vigente, enquanto o óleo diesel S10 poderá ter apenas 2% de biodiesel, em substituição ao porcentual de 14%. E o óleo diesel S500, o mais poluente, não precisa ter mistura de biodiesel.

"Mantém-se o prazo de 30 dias para essa medida nos municípios mencionados, a contar da decisão original de 4 de maio. Esse período pode ser revisto, a depender das condições de abastecimento na região. Da mesma forma, em caso de piora nas condições do Estado, a ANP pode determinar a retomada da flexibilização da mistura em outras localidades, garantindo assim a continuidade do abastecimento", informou a ANP.

Segundo a agência, a situação no Rio Grande do Sul continua sendo monitorada, e foi determinado que os distribuidores da região reportem, diariamente, os dados de movimentação dos combustíveis, incluindo o detalhamento do porcentual de mistura adotado.

"A agência vem ainda realizando um trabalho diário em campo, verificando bases de distribuição, postos de combustíveis e revendas de GLP (gás de cozinha) para obter um panorama da situação do abastecimento de combustíveis no Estado", disse a ANP.