Déficit primário em relação ao PIB em 2024 passa de 0,67% para 0,64%, aponta Focus

O Relatório de Mercado Focus revisou a projeção de rombo fiscal de 2024. Para o déficit primário em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, a mediana passou de 0,67% para 0,64%, de 0,70% há um mês.

O relatório bimestral de despesas e receitas divulgado em março alterou o resultado primário para um déficit de R$ 9,3 bilhões (0,1% do PIB). O presidente Luiz Inácio Lula da Silva já avisou que o governo "dificilmente chegará à meta zero", até porque o chefe do Executivo "não quer fazer cortes em investimentos e obras".

Já a estimativa do Focus para o déficit nominal em 2024 seguiu em 6,80% do PIB, mesmo patamar de um mês atrás. O resultado primário reflete o saldo entre receitas e despesas do governo, antes do pagamento dos juros da dívida pública. Já o resultado nominal reflete o saldo já após o gasto com juros e outras despesas financeiras.

A estimativa para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB em 2024 passou de 63,85% para 63,90% de 63,77% de um mês atrás.

Para 2025, o déficit primário esperado pelo mercado passou de 0,68% para 0,60% do PIB, ante 0,60% de um mês atrás. O novo arcabouço fiscal aprovado no ano passado previa uma meta de superávit primário de 0,5% do PIB no próximo ano, mas o governo alterou a meta para 0% do PIB no projeto de lei de diretrizes orçamentárias (PLDO) para o próximo ano.

O déficit nominal projetado para 2025 passou de 6,25% para 6,27% do PIB, ante 6,25% de um mês atrás. A estimativa para a dívida líquida no próximo ano seguiu em 66,50% do PIB, ante 66,27% de quatro semanas antes.