Vários dirigentes elevariam mais juros, caso riscos à inflação se materializem, diz ata do Fed

Vários dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) mencionaram na última reunião da autoridade dos Estados Unidos a disposição de apertar ainda mais a política monetária caso os riscos para a inflação se materializem de uma forma que tal ação se torne apropriada. Segundo a ata do encontro, divulgada nesta quarta-feira, 22, os membros do conselho concordaram que não que seria apropriado reduzir a meta do Fed Funds até que ganhem maior confiança de que a inflação está se movendo de forma sustentável em direção à meta 2%.

Os dirigentes discutiram a manutenção da atual orientação política restritiva durante mais tempo, caso a inflação não dê sinais de avançar de forma sustentável para 2%, ou de reduzir a contenção política no caso de um enfraquecimento inesperado das condições do mercado de trabalho.

Embora a política monetária tenha sido considerada restritiva, muitos participantes do encontro comentaram a sua incerteza quanto ao grau de restrição. Estes dirigentes consideraram que esta incerteza advinha da possibilidade de que as taxas de juro elevadas possam ter efeitos menores do que no passado, de que as taxas de juro de equilíbrio a longo prazo possam ser mais elevadas do que se pensava anteriormente, ou de que o nível do produto potencial possa ser inferior ao estimado.

Os participantes da reunião avaliaram, no entanto, que a política monetária permaneceu bem posicionada para responder à evolução das condições econômicas e aos riscos para as perspectivas, segundo documento.