S&P coloca ratings da 3R e da Enauta em observação positiva após acordo que prevê fusão

A S&P Global Ratings colocou em observação positiva os ratings de 3R Petroleum e Enauta, após acordo que prevê a fusão das duas empresas. Em nota, a agência estima que o grupo resultante da combinação terá capacidade para produzir mais de 70 mil barris de equivalente a petróleo por dia até o final de 2024, com avanço a 80 mil barris em 2025. Para as reservas, a expectativa é de um avanço para 500 milhões de barris.

Segundo a instituição, a produção maior reflete os planos da 3R de reformar aquisições anteriores, entre elas os ativos referentes ao Polo Potiguar. Ao mesmo, a Enauta deve ampliar a oferta no Campo de Atlanta.

A agência acrescenta que a fusão deve elevar a posição competitiva da 3R ao torná-la mais diversificada. "Esperamos que esses fatores permitam que o 3R gere resultados positivos de fluxo de caixa livre operacional, reduzindo os custos de levantamento através de um menor número de embarcações de apoio offshore, além aumento da capacidade de processamento diário dos navios flutuantes de armazenamento e descarga de produção", diz.

Por isso, a observação positiva se refere aos ratings B+ em escala global e brA+ em escala nacional da 3R, bem como a nota brBBB da Enauta.

A S&P espera resolver o rating em até 90 dias.