Ibovespa opera com volatilidade, de olho em Pacheco e presidente do BC dos EUA

A espera dos investidores por sinais fiscais do Brasil e da política monetária americana deixa o Ibovespa volátil. Na segunda-feira, 8, o principal indicador da B3 até tentou devolver uma parcela da alta semanal de 1,91%, mas fechou com valorização de 0,22%, aos 126.548,34 pontos, puxado pelas ações da Petrobras, após a empresa reajustar os preços da gasolina e do GLP.

A queda das commodities limita o Ibovespa de subir, apesar da elevação da maioria dos índices das bolsas de Nova York. No geral, os ativos dos mercados norte-americanos têm sinais moderados, antes do pronunciamento do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, no Congresso dos Estados Unidos.

A expectativa é de que Powell dê pistas mais consistentes para a política monetária em meio a crescentes apostas nos mercados de que o juro básico norte-americano começará a cair em setembro.

"Uma eventual fala mais branda do presidente do Fed, ampliando as apostas em alívio monetário, deve favorecer os ativos de risco e restabelecer a tendência de baixa de curto prazo do dólar, interrompida ontem(segunda)", avalia a Guide Investimentos, pontuando que os juros futuros também se beneficiariam, dado que um real fortalecido reduziria a pressão inflacionária.

Na agenda do Brasil, o foco é a entrevista do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), nesta manhã que anunciou o projeto de lei de renegociação das dívidas dos Estados com a União.

Ainda que preliminarmente avaliando, o anúncio é bem-vindo, em meio à falta de notícias positivas, avalia Thiago Lourenço, operador de renda variável da Manchester Investimentos. "O mercado estava carente de uma sinal mais claro em relação a questões fiscais e se realmente houver uma consolidação neste sentido, não só discurso, é bom", diz.

Na avaliação de Lourenço, a moderação do Índice Bovespa reflete a espera por novidades e consolidação de pautas pendentes como a fiscal. "Está meio travado, à espera para ver o que vai acontecer e definir se subirá ou ficará lateralizado."

Perto das 11h desta terça-feira, 9, o Ibovespa tinha alta de 0,08%, aos 126.551,69 pontos, ante elevação de 0,09%, na máxima aos 126.668,43 pontos. Na mínima, caiu 0,48% (125.936,61 pontos).

Algumas ações ligadas a commodities e do setor financeiro caem, dificultando o Índice Bovespa de subir. Em Dalian, na China, o minério de ferro recuou 0,48%. Assim Vale perdia 0,36%. Petrobras recuava entre 0,10% (PN) e 0,63%). Entre os grandes bancos, o recuo maior era de 0,65% (Banco do Brasil). Unit de BTG Pactual caía 1,11%. Na ponta oposta, Magazine Luiza e Azul subiam entre 3,65% e 3,48%, depois do recuo recente.