Bolsas

Câmbio

6 histórias que comprovam que é possível se livrar de dívidas de forma inusitada

  • Shutterstock

SÃO PAULO – Dívidas podem ser um desastre na vida de qualquer pessoa. Para compartilhar a experiência um tanto quanto difícil, o site "Business Insider" foi atrás de sete histórias bem-sucedidas de pessoas que quitaram suas dívidas de formas diferentes, mas eficazes.

Bryant e Emily Adler – Não deixe acumular dívidas

O casal deixou a dívida virar uma "bola de neve". Em 2012 , Bryant e Emily somaram suas dívidas e descobriram que deviam US$ 92 mil (cerca de R$ 305 mil).

Para começar a pagar tudo, eles usaram um método conhecido como "Snowball" (bola de neve) que incentiva as pessoas a pagarem a menor dívida em primeiro lugar, em seguida, usar o impulso emocional do sucesso para enfrentar a próxima dívida, e assim por diante até tudo ser pago.

"Fizemos uma planilha de nossas dívidas e listamos da menor para a maior", explica Emily. "Começamos com o menor e fomos pagando. Apesar de termos feito o pagamento do carro antes de uma outra conta, mais barata, porque a taxa de juros era muito alta e queríamos nos livrar dela logo", afirmou Emily.

Dois anos e meio após a primeira dívida paga, os Adlers fizeram seu último pagamento da dívida na véspera do Natal de 2014.

Lauren Bowling – Encontre maneiras de aumentar sua renda

Quando Lauren Bowling definiu uma meta para pagar US$ 8.000 (quase R$ 26 mil) em dívidas em 90 dias, ela sabia que apenas cortar suas despesas não iria ajudá-la a encontrar o extra de US$ 1.600 (cerca de R$ 5 mil) por mês que precisava.

"Eu já estava economizando tanto quanto eu podia do meu salário, então decidi que deveria fazer algo extra para ganhar mais dinheiro. Eu pensei sobre novos fluxos de receitas para o meu negócio, e então comecei a oferecer treinamento para blogueiros iniciantes e empresas", disse Bowling.

Ela também vendeu alguns de seus pertences indesejáveis no eBay, começou a oferecer conteúdo patrocinado para marcas em seu blog, e abriu duas novas contas correntes. Três meses depois, ela foi capaz de bater seu objetivo.

Jessica Elberfeld – Planilha de orçamento é fundamental

Desde que se formou na faculdade em 2009, Jessica Elberfeld pagou US$ 104.182,42 (cerca de R$ 345 mil), fora os US$ 113.000 (R$ 375 mil) de empréstimos estudantis. Ela contou que sempre fez de seus pagamentos de empréstimos uma prioridade, mas não tinha organizado suas dívidas até 2015, quando colocou todos os gastos e dados dos empréstimos em uma planilha de orçamento no Excel.

Durante 9 meses ela calculou a média de seus gastos, e depois fez a média final de seu orçamento. Toda noite, ela introduzia seus recibos em sua planilha. Se ela passava do orçamento em alguma área, ela ia corrigindo no próximo mês. Dessa forma, ela pôde dedicar pelo menos US$ 2.230 (R$ 7 mil) por mês para seus pagamentos de empréstimo. Em novembro deste ano, ela termina de pagar o empréstimo inteiro e será livre dessa dívida.

Anna Newell Jones – Separe seus gastos em "desejos" e "necessidades"

Quando Anna Newell Jones percebeu que devia US$ 23.600 (cerca de R$ 75 mil) em 2009, ela decidiu tomar medidas drásticas para pagar tudo em um ano.

Para começar, Jones organizou sua vida separando as coisas que ela queria, mas não eram prioridades, daquilo que realmente era necessidade. E compartilhou em seu site.

Ela concluiu que o que realmente precisava era: pagar o aluguel, ter telefone celular sem internet, comida, academia de baixo custo, despesas médicas, exposições de fotografia de baixo custo para manter seu negócio, pagamentos do carro e do gás, passes de ônibus e tinta de cabelo.

Ela eliminou todo o resto.

A abordagem de Newell é extrema. Mas sua decisão de distinguir o dinheiro que gastava entre coisas que ela queria e coisas que ela precisava fez com que suas dívidas fossem pagas.

Kevin Shryock  - Estude finanças para pensar em uma alternativa

Quando Kevin Shryock e sua namorada Becca perceberam que deviam US$ 52 mil (cerca de R$ 171.600) em dívidas, eles ficaram chocados. "Desde criança eu sonhava em se tornar bem-sucedido e rico", dise Kevin, mas "a dívida chegou até aos nossos olhos... e me senti perdido".

Então, ele procurou especialistas. "Eu pedi livros de finanças no Natal e estudei na biblioteca. Achei estratégias simples para administrar meu dinheiro, em vez de ficar me perguntando para onde foi. Montei um orçamento, fugindo de enrascadas que pudesse gerar dívidas, vivemos com menos e construimos um fundo de emergência", explicou Kevin.. Em menos de 18 meses, eles estavam livres de dívidas e tinham guardado um adicional de US$ 20.000 (algo em torno de R$ 66 mil).

Frank Thomae – Mudar de casa pode ser uma opção para viver com menor custo de vida

Em 2014, Frank Thomae e sua esposa, Lissette, tinham US$ 46.000 (cerca de R$ 150 mil) em dívidas. Então eles se mudaram.

Eles viviam em Montreal, mas sonhavam em viajar, então viajaram e com eles levaram as dívidas, em uma jornada sem destino certo começando com três meses em Praga.

Frank se aposentou como gerente de uma exportadora canadense, mas Lissette manteve seu trabalho de marketing, trabalhando remotamente para ganhar algum dinheiro.

Eles foram percebendo que o custo de vida era apenas uma fração do que pagavam no Canadá. E era possível ganhar dinheiro enquanto viviam com menos, e, aos poucos, a dívida foi acabando e em dois anos eles tinham pago tudo.

Mais uma vez, viajar o mundo é uma medida extrema – e nem sempre funciona. Mas se mudar para encontrar um menor custo de vida é uma forma eficaz de economizar suas economias rapidamente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos