PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Futuro do Ibovespa tem abre em alta de olho em balanços e no exterior

23/07/2019 09h04

O índice futuro do Ibovespa abriu a jornada desta terça-feira com valorização de 0,33% aos 104.780 pontos, mas diminuiu o avanço às 09h22 com alta de 0,18% . O dia deve ser marcado pelas atenções dos investidores voltadas para os primeiros balanços da temporada local de balanços e perspectiva de afrouxamento monetário pelo Copom e principais Bancos Centrais do mundo - notadamente Fed e Banco Central Europeu (BCE).

Já o dólar começa o dia com ganhos de 0,26% a R$ 3,7497.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) variou 0,09% em julho, ficando próximo à taxa de junho (0,06%). No ano, o IPCA-15 acumula alta de 2,42% e, em 12 meses, de 3,27%, resultado abaixo dos 3,84% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em julho de 2018, a taxa havia sido de 0,64%.

Os Estados Unidos sancionaram a estatal chinesa de energia Zhuhai Zhenrong Co Ltd, por alegações de que a empresa teria violado restrições impostas ao setor de petróleo do Irã, disse o Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, em um discurso na segunda-feira.

"Nós temos dito que iremos sancionar qualquer comportamento sancionável, e é isso o que queríamos dizer", afirmou ele em discurso na Flórida, no qual anunciou a medida.

O movimento vem em meio a crescentes tensões entre o Irã e o Ocidente, assim como entre Estados Unidos e China, que estão envolvidos em uma guerra comercial.

O Ministério da Indústria da China disse nesta terça-feira que "grandes esforços" serão necessários para atingir a meta de crescimento da produção industrial deste ano, já que o protecionismo comercial tem pesado sobre as exportações e obscurecido as perspectivas para a segunda maior economia do mundo.

As reformas em curso e a reestruturação dos setores industriais do país representam desafios adicionais, disse o vice-ministro da Indústria e Tecnologia da Informação, Xin Guobin, a jornalistas em uma entrevista coletiva em Pequim.

Boris Johnson, fervoroso político a favor do Brexit que prometeu efetivar a separação entre Reino Unido e União Europeia com ou sem acordo até 31 de outubro, irá substituir Theresa May no cargo de primeiro-ministro do Reino Unido após vencer a disputa pela liderança do Partido Conservador, nesta terça-feira.

A vitória leva o Reino Unido em direção ao Brexit e a uma crise constitucional, já que parlamentares britânicos votaram para derrubar qualquer governo que tente deixar o bloco sem um acordo.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,95%, a 21.620 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,34%, a 28.466 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,45%, a 2.899 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,22%, a 3.789 pontos.

A terça-feira dá sanais de que a terça-feira deve mesmo ser um dia positivo para os principais mercados acionários da Europa. Em Frankfurt, o DAX soma 1,68% aos 12.497 pontos, enquanto que em Londres, o FTSE soma 0.63% aos 7.562 pontos. Já em Paris, o CAC avança 0,92% aos 5.618 pontos.

COMMODITIES

A terça-feira foi mais uma sessão marcada por perdas para os contratos futuros do minério de ferro, que são negociados na bolsa de mercadorias da cidade de Dalian, na China. O ativo de maior volume de negócios, com data de vencimento em setembro do atual calendário, a queda foi de 1,73% a 880,00 iuanes para cada tonelada, o que representa variação diária de 15,50 iuanes.

No mesmo sentindo, a jornada também foi negativa para os papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na bolsa de mercadorias da também cidade chinesa da Xangai. O contrato de outubro deste ano, o de maior liquidez, recuou 22 iuanes para 3.941 iuanes por tonelada. Já o de janeiro de 2020, segundo mais negociado, caiu 26 iuanes para 3.721 iuanes por tonelada.

A terça-feira também se mostra negativa para os preços futuros do petróleo. O barril do tipo WTI, referência em Nova York, recua 0,41%, ou US$ 0,23, a US$ 55,99. Já o Brent, de Londres, perde 0,54%, ou US$ 0,34, a US$ 62,92.

MERCADO CORPORATIVO

- Santander

O espanhol Santander Brasil (SA:SANB11) informou na manhã desta terça-feira que registrou lucro líquido societário de R$ 3,41 bilhões entre abril e junho, o que representa um avanço de 14,8% na comparação com mesmo período do 2018, quando o banco apresentou cifra de R$ 2,97 bilhões.

- Copel (SA:CPLE6)

A venda de energia no chamado mercado fio da Copel Distribuição teve aumento de 1,4% no segundo trimestre, na comparação com igual período do ano anterior, informou a elétrica paranaense nesta segunda-feira.

O mercado fio é composto pelo mercado cativo, pelo suprimento a concessionárias e permissionárias no Paraná e pela totalidade dos consumidores livres na área de concessão da empresa.

A alta ocorreu principalmente em função do crescimento de 9,6% no consumo do mercado livre, resultado do avanço da produção industrial do Estado, acrescentou a estatal.

- Etanol

A negociante e processadora de commodities agrícolas Bunge e a petroleira BP anunciaram nesta segunda-feira a criação de uma companhia de bioenergia no Brasil que produzirá etanol e açúcar, além de eletricidade renovável com biomassa de cana-de-açúcar.

A joint venture, BP Bunge Bioenergia, na qual cada uma das empresas terá 50%, vai operar de forma autônoma, com um total de 11 usinas nas regiões Sudeste, Norte e Centro-Oeste do Brasil, marcando um dos maiores negócios entre companhias multinacionais no setor, que tem visto forte crescimento nas vendas de etanol no país e deverá ter novo salto nos próximos anos.

A nova companhia será a terceira maior do mundo em capacidade de moagem, com 32 milhões de toneladas por ano -atrás da Raízen, joint venture entre Cosan (SA:CSAN3) e Shell, e Biosev (SA:BSEV3), respectivamente.

- Cemig (SA:CMIG4)

A Cemig Distribuição, subsidiária da elétrica mineira Cemig, concluiu a distribuição de sua sétima emissão de debêntures simples, com um valor de 3,66 bilhões de reais, informou a empresa controladora em fato relevante divulgado nesta segunda-feira.

Segundo o comunicado da companhia, a distribuição se deu em duas séries, sendo a primeira de 2,16 bilhões de reais, com vencimento em cinco anos, e a segunda de 1,5 bilhão de reais, com prazo de sete anos.

"Os recursos que se incorporam ao caixa da Cemig D se inserem no contexto de gestão do endividamento", afirmou a Cemig, acrescentando que eles permitem a substituição de um conjunto de dívidas de igual valor, mais onerosas e com vencimento mais próximo, por outra de menor custo e com amortizações diluídas em sete anos.

Leilão

A elétrica estatal mineira Cemig realizará em 13 de setembro um novo leilão para contratar a energia de parques eólicos e usinas solares, segundo edital publicado pela companhia nesta segunda-feira.

O certame oferecerá aos vencedores um contrato para a venda da energia dos projetos no mercado livre de eletricidade, junto à unidade de comercialização de energia da Cemig, de acordo com o documento.

A iniciativa segue os moldes de outras duas licitações semelhantes realizadas pela Cemig ao longo de 2018. Na primeira, em junho passado, a companhia contratou a produção futura de projetos renováveis que deverão somar 1,24 gigawatt em capacidade. Na segunda, em outubro, foi comprada a geração de usinas que totalizarão 388 megawatts.

Expansão

As estatais de energia Cemig e Celesc (SA:CLSC4) estão avaliando alternativas para financiar investimentos na ampliação de duas de suas pequenas hidrelétricas, após terem vendido a produção futura dos empreendimentos em leilão realizado pelo governo brasileiro no mês passado, disseram as empresas à Reuters.

No leilão, o chamado A-4, que contratou usinas para entrada em operação a partir de 2023, a Celesc comprometeu-se a elevar em 8,3 megawatts (MW) a capacidade da usina Celso Ramos, em Santa Catarina, que hoje tem cerca de 5,6 MW. Já a Cemig vendeu a energia de uma expansão em 20,8 MW da pequena usina Poço Fundo, em Minas Gerais, que possui 9,16 MW.

- Logística

A nova tabela de pisos mínimos de fretes foi suspensa nesta segunda-feira pela Agência Nacional de Transportes Terrestres em decisão tomada após pedido do Ministério dos Transportes, pressionado por ameaças de greve de caminhoneiros insatisfeitos com seus valores.

A tabela, que usa uma nova metodologia desenvolvida pela Esalq-USP, havia sido aprovada pela própria ANTT na quinta-feira passada e tinha entrado em vigor no sábado, mas entidades representantes de caminhoneiros autônomos reclamaram que os valores estipulados são insuficientes para remunerar adequadamente a atividade.

Após ameaças de greve prometidas para esta segunda-feira, o ministro dos Transportes, Tarcísio de Freitas, pediu para a ANTT rever a aplicação da nova tabela, prometendo uma reunião com os caminhoneiros na quarta-feira para discutir o assunto.

AGENDA DE AUTORIDADES

O presidente Jair Bolsonaro viaja nesta terça-feira para Vitória da Conquista, na Bahia, onde participa da Inauguração do Aeroporto Glauber Rocha. Na parte da tarde, de volta à Brasília, participa da cerimônia lançamento do Novo Mercado de Gás.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, tem nesta terça-feira Reunião de Governança com Banco do Brasil (SA:BBAS3), CAIXA e BNDES, e em seguida, almoço semanal com o presidente do Banco Central, Roberto Campos.

Na parte da parte da tarde, tem reuniões com Secretário Especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, com o Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Da Costa.

Guedes ainda participa da cerimônia do Novo Mercado do Gás, se reunindo em seguida com o Secretário Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel. O dia termina com um encontro com o Secretário Especial de Fazenda, Waldery Rodrigues.