PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quarta-feira

27/11/2019 09h44

As empresas da China estão sofrendo bastante com a guerra comercial. Há uma enorme quantidade de dados econômicos antes do Dia de Ação de Graças, e o grupo de capital privado Silver Lake faz uma grande aposta no futebol inglês.

Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros na quarta-feira, 27 de novembro.

1. As empresas da China sofrem com as tarifas nos EUA

A pressão sobre a economia chinesa devido às tarifas dos EUA está em evidência, pois os dados mostram que os lucros industriais agregados caíram 9,9% no ano em outubro - a taxa mais alta desde que a China começou a compilar os dados em 2011. As notícias vieram depois dos dados da balança comercial dos EUA, cujo déficit comercial encolheu para o nível mais baixo em mais de um ano em outubro.

Os analistas do ING apontaram uma divergência acentuada por setor nos dados gerais, com setores relacionados ao comércio se saindo muito pior do que os relacionados à infraestrutura. As indústrias químicas, automotivas, papel e têxtil sofreram, enquanto as empresas de mineração e as de transporte não automotivo mais que dobraram seus lucros.

A notícia veio depois de mais comentários do presidente Donald Trump na noite de terça-feira, que - como muitos comentários - foram cuidadosamente protegidos, apesar de os mercados se concentrarem em sua alegação de que os dois países estão no "ponto final" das negociações para garantir uma fase 1 'para reduzir a extensão da guerra comercial'.

2. Dados econômicos antes do feriado

Há uma grande quantidade de dados econômicos dos EUA que serão apresentados hoje, à medida que os números semanais das solicitações semanais de seguro-desemprego são transferidos do horário habitual de quinta-feira para evitar cair no Dia de Ação de Graças. Esses dados são esperados às 10h30 (horário de Brasília), junto com pedidos de bens duráveis ??e preços para gastos pessoais do consumidor, uma medida monitorada particularmente de perto pelo Federal Reserve.

O número mais esperado, no entanto, talvez seja a segunda leitura do PIB do terceiro trimestre. A primeira leitura indicou que o crescimento anualizado desacelerou para 1,9% nos três meses até outubro, a taxa mais lenta desde meados de 2017.

Os pedidos de bens duráveis ??para outubro serão apresentados às 10h30, enquanto o PMI de Chicago segue às 11h45.

3. Ações indicam abertura em alta

As bolsas de valores dos EUA estão prestes a abrir um pouco mais em alta no último dia de negociação antes do feriado prolongado, apoiadas pelas últimas informações do presidente Trump nas negociações comerciais com a China (que não incluíam nenhuma menção se ele pretende vetar a lei que emperraria o comércio da China) devido ao tratamento dos manifestantes pró-democracia em Hong Kong.

Às 8h15 (horário de Brasília), os contratos futuros da Dow subiam 21 pontos ou 0,1%, enquanto os contratos futuros do S&P 500 e Nasdaq 100 aumentavam 0,2%.

As ações europeias atingiram a máxima de quatro anos durante a madrugada, também impulsionadas pelos comentários de Trump.

Um dos últimos grandes relatórios de resultados deve chegar antes da abertura do pregão é da empresa Deere&Co., cuja atualização fornecerá uma visão dos efeitos contínuos de uma guerra comercial que atingiu gravemente as compras chinesas de produtos agrícolas dos EUA.

4. Silver Lake aposta na metade azul de Manchester

O grupo de capital privado americano fez outra grande aposta no futebol europeu. Silver Lake concordou em injetar US$ 500 milhões no atual campeão inglês Manchester City, com uma avaliação de US$ 4,8 bilhões. Isso faz com que o Manchester City seja a franquia esportiva mais valiosa da Europa.

O acordo ocorre no momento em que o Liverpool FC, de propriedade do Fenway Sports Group, lidera Premier League depois de vencer a UEFA Champions League na temporada passada.

Atualmente, o Manchester City é majoritariamente detido por fundos soberanos baseados em Abu Dhabi. Segundo o Financial Times, Silver Lake - mais conhecido por seus investimentos em empresas de tecnologia - pretende manter sua participação por "cerca de uma década" antes de sair por meio de um IPO ou venda a outro investidor privado.

5. A pesquisa eleitoral no Reino Unido definitiva (ou não)

Quer saber quem vai ganhar a eleição no Reino Unido? Acesse o site do The Times of London às 19h00 para a publicação do que é considerado como a referência das pesquisas de opinião.

A pesquisa "Regressão multinível e pós-estratificação" do YouGov foi a que previu corretamente que os conservadores perderiam a maioria em 2017, numa época em que todas as outras pesquisas previam uma vitória confortável para a então primeira-ministra Theresa May - assim como fazem para Boris Johnson no momento.

A pesquisa usa uma amostra de cerca de 50.000 eleitores - diferentemente aos habituais 1.000-1.500 e os analisa através de vários filtros. No entanto, devido à sua escala estatística alta, seus resultados podem não refletir mudanças tardias de opinião.