Bolsas

Câmbio

Université Laval retoma título da Shell Eco-marathon Americas da Universidade de Toronto

Shell Oil Company

Os dados abaixo são de responsabilidade das empresas envolvidas e não são produto jornalístico do UOL

DETROIT, 26 de abril de 2016 /PRNewswire/ -- A 10a Shell Eco-marathon Americas terminou neste domingo, com duas favoritas constantes lutando nas ruas à beira-rio e no centro da Motor City (Cidade do Automóvel), para ver que veículo-protótipo, ultraeficiente energeticamente, pode percorrer a maior distância, usando a mesma quantidade de energia. A equipe Université Laval, de Quebec, recuperou o título de sua rival canadense, a Universidade de Toronto.

Foto - http://photos.prnewswire.com/prnh/20160424/359267

Logo - http://photos.prnewswire.com/prnh/20120917/MM76045LOGO

A equipe da Laval registrou 2.585 milhas por galão com seu protótipo movido a gasolina. Mas essa marca não alcançou seu recorde estabelecido em 2013 de 3.587 mpg. A equipe de Toronto, cujo veículo terminou com a melhor marca de 2.364 mpg, tinha a esperança de ultrapassar a marca de sua principal concorrente, em sua tentativa final, mas não conseguiu dar partida no veículo.

Mais de 1.000 estudantes de um número recorde de 124 equipes, representando sete países -- Brasil, Canadá, Equador, Guatemala, México, Porto Rico e Estados Unidos -- competiram por três dias em duas classes de veículos. A classe Protótipo estimula os estudantes a construir veículos futuristas e funcionais e a classe UrbanConcept (conceito urbano) deve se focar em veículos "roadworthy" (bons de estrada), eficientes em consumo de combustível, com o objetivo de atender as necessidades da vida real dos motoristas.

Os veículos são divididos por tipo de energia:

Combustíveis para motor de combustão interna: gasolina, diesel, combustível líquido feito de gás natural e etanol. Veículos elétricos: células de combustível de hidrogênio e bateria elétrica. O primeiro evento ocorreu há 31 anos na Europa e, além da competição das Américas, a Shell Eco-marathon é realizada anualmente na Europa e na Ásia. Essa competição única desafia os estudantes de todo o mundo a projetar, construir e dirigir os carros mais eficientes energeticamente.

De fato, as equipes da classe UrbanConcept das Américas, Ásia e Europa irão competir no primeiro Campeonato Mundial de Pilotos da Shell Eco-marathon, a ser realizado em 3 de julho de 2016, no icônico Parque Olímpico Rainha Elizabeth, em Londres. A equipe vencedora vai ganhar um convite para passar uma semana nas instalações da Scuderia Ferrari, em Maranello, Itália, onde os integrantes da equipe irão receber orientação pessoal e conselhos de engenheiros, sobre como aperfeiçoar seu carro para a Shell Eco-marathon de 2017.

As equipes que irão a Londres com seus veículos incluem as escolas de ensino secundário da Mater Dei High School, de Evansville, Indiana; Alden-Conger High School, de Alden, Minnesota; Saint Thomas Academy, de Mendota Heights, Minnesota; e Newburgh Free Academy, de Newburgh, Nova York. As equipes que irão como assistentes convidadas são a Universidade de Alberta, de Edmonton, Canadá, e a Universidade de Illinois, de Champaign, Illinois.

Seis escolas competiram em todos os 10 anos

Quatro universidades – Universidade Politécnica Estadual da Califórnia, Universidade de Cedarville (Ohio), Instituto de Tecnologia Rose-Hulman (Indiana) e a Universidade da Califórnia em Los Angeles -- e duas escolas de ensino secundário -- Mater Dei High School e Grand Rapids High School (Michigan) -- participaram todos os anos da competição das Américas. Como ocorreu anteriormente, o veículo-protótipo, movido a gasolina, da Mater Dei High School foi o que teve o melhor desempenho entre as escolas de ensino secundário, registrando 857 mpg e ficando em nono na classificação geral.

Nessa categoria, a Universidade de Toronto manteve, na verdade, uma pequena liderança sobre a Université Laval no início da competição no domingo. Mas sua rival voltou forte. Entre as demais cinco primeiras colocadas, ficaram a Universidade Politécnica Estadual da Califórnia, a Universidade de Northern Illinois e a Universidade Dalhousie. Entre as escolas de ensino secundário, após a Mater Dei High se classificaram a Ruston High School (Louisiana), Livingston High School (Nova Jersey), Paoli High School (Indiana) e Terre Haute South Vigo High School (Indiana).

Na competição da classe UrbanConcept, o veículo movido a gasolina da Mater Dei High School venceu, com uma marca de 752 mpg, seguido pelo veículo movido a diesel da equipe Knights 3, da Alden-Conger High School, com a marca de 525 mpg. Na categoria Protótipo a diesel, a equipe totalmente feminina Shopgirls da Granite Falls (Washington), quebrou o recorde da escola pela terceira vez consecutiva e, na rodada final, ficou em primeiro lugar com 1.115 mpg, derrotando o veículo da Sullivan High School (Indiana), que registrou 1.083 mpg.

O evento celebra a colaboração junto com a competição

Embora possa ser intensa, a competição também desencadeia muita cooperação entre as equipes. Quando o único engenheiro elétrico da Braham High School (Minnesota) foi obrigado a cancelar sua ida a Detroit, a equipe da Universidade Estadual de Oregon emprestou a equipe da Braham engenheiros elétricos, para ajudá-la a passar pela rigorosa inspeção técnica exigida de cada veículo, antes de iniciar a competição.

Para Krystal Santiago Olavarria, motorista do veículo da Universidade Interamericana de Porto Rico, a maior surpresa do evento foi a colaboração entre as equipes, enquanto montavam "furiosamente" os carros no recinto de convenções do Cobo Center de Detroit. "Elas foram muito amáveis conosco, sempre procurando ajudar os outros no que fosse preciso", ela disse. Sua equipe de oito estudantes de engenharia gastou cerca de dois meses construindo seu veículos peso-leve, movido a gasolina, que, infelizmente, não passou na inspeção técnica obrigatória.

O presidente da Shell, Chad Holliday, disse aos estudantes em Detroit que ele busca inspiração na inventividade deles e os estimulou a apreciar o trabalho de equipe, necessário para vencer. "Essa experiência, se ainda não perceberam isso, irá mudar a vida de vocês", ele disse. "Daqui a 20 ou 30 anos, vocês vão rememorar esse momento e pensar sobre o trabalho de equipe".

Equipes vencedoras

No sábado e domingo, os veículos deram 10 voltas, percorrendo uma distância total de seis milhas no circuito, a uma média de velocidade de 15 mph. Os vencedores de cada classe, com base na classe do veículo e na fonte de energia, foram:

Protótipo a gasolina: equipe The Alérion Supermileage, da Université Laval de Quebec, 2.585 mpg. Protótipo a diesel: equipe ShopGirls, da Granite Falls High School de Washington, 1.115,1 mpg. Protótipo a bateria elétrica: equipe Beyond, da Université de Sherbrooke do Canadá, 454,5 mi/kWh. Protótipo a célula de combustível de hidrogênio: equipe Queen's Fuel Cell da Universidade de Queens do Canadá, 83,9mi/m3. Protótipo alternativo: equipe Tatonkatoo, da Universidade do Colorado em Boulder, 1.214,3 mpg. UrbanConcept a gasolina: equipe Mater Dei Supermileage, da Mater Dei High School de Indiana, 793 mpg. UrbanConcept a diesel: equipe Knights 3, da Alden-Conger High School de Minnesota, 525,1 mpg. UrbanConcept a bateria elétrica: Veículo Experimental da Equipe Alpha, da Academia de Saint Thomas de Minnesota, 52,7 mi/kWh. UrbanConcept a célula de combustível de hidrogênio, Equipe EcoCar, da Universidade de Alberta, 41 mi/m3. UrbanConcept a combustível alternativo: equipe Let's Do It Again 2, da James B. Dudley High School de Carolina do Norte, 107,7 mpg. Além dos prêmios por melhor economia de combustível em cada categoria, as equipes puderam competir por um ou mais prêmios especiais, incluindo prêmios por segurança, comunicação, perseverança, projeto, espírito de equipe e inovação técnica. Os vencedores foram:

Prêmio Segurança: Equipe Paoli Purple, Protótipo a Gasolina da Paoli High School (Indiana). A equipe incorporou recursos de segurança não apenas no projeto do veículo e nas práticas diárias da equipe no paddock, mas também durante o processo de construção do veículo. A mentalidade de prevenção proativa de de acidentes também foi evidenciada nos arquivos em exposição no paddock, que demonstraram que a segurança é prioridade máxima para a equipe.

Prêmio Comunicação: EcoVeículo, Protótipo a Bateria Elétrica da Universidade Federal de Itajubá (Brasil). Além da difusão proficiente da equipe e da plataforma social, a equipe teve ajuda da comunidade local e de patrocinadores para divulgar sua participação na competição.

Prêmio perseverança: Equipe E-Team, Protótipo a Bateria Elétrica da Universidad del Azuay (Equador). A equipe viajou mais de 3.000 milhas, enfrentou grandes dificuldades e teve de desmontar todo o carro para trazê-lo em malas comuns. Ainda mais impressionante, a uma semana da partida da equipe, o Equador sofreu dois grandes terremotos, resultando em 650 mortes e mais de 12.000 pessoas feridas. Ao mesmo tempo em que teve de lidar com o peso emocional, a equipe se focou em sua missão, exibindo grande otimismo, com o objetivo de levar um raio de esperança para casa.

Prêmio Espírito do Evento: Equipe da Troy High School (Michigan) e Equipe James B. Dudley High School (Carolina do Norte), que nos últimos dois anos cultivou o desenvolvimento de amizades, com respeito e vontade de colaborar. A Dudley High ajudou a equipe da Troy a realizar o sonho de competir na Eco-marathon. Doou peças, ferramentas, conselho e orientação à equipe da Troy, que praticamente se encarrega da própria gestão, levantando fundos e trabalhando longas horas no veículo. E apesar do carro da equipe haver sido destruído há 11 dias na inundação de um porão, os integrantes da equipe construíram um veículo totalmente novo, inspirando todas as equipes com as quais trabalharam em Detroit.

Prêmio Projeto do Veículo: Equipe Beyond, Protótipo a Bateria Elétrica da Université de Sherbrook (Canadá) e Equipe Alpha da Academia de Saint Thomas (Minnesota), com seu Veículo Experimental a Bateria Elétrica da classe Conceito Urbano.

Inovação técnica: Equipe Tatonkatoo, Protótipo a Etanol da Universidade de Colorado em Boulder. Os integrantes da equipe seguiram um viés diferente à porção "Eco" da Shell Eco-marathon, ao tentar impactar todo o custo do ciclo de vida da energia de seu veículo, através do uso inovador de materiais compostos de fibra natural misturados com taninos de vinho e gelatina.

Prêmios adicionais:

Tristan Dinkel, estudante da Sullivan High School (Indiana), ganhou um laptop de jogos. Addie Randall e Justin Williams da James B. Dudley High School da Carolina do Norte ganharam um cartão de presente (gift card) $ 500 da Shell. Iuri Costa Prado da Universidade Federal de Itajubá (Brasil) ganhou um iPad Apple e Alejandro Serrano Mora da Universidade Nacional Autonoma De México (Cidade do México) ganhou um tablet HP.

Parceiros globais e locais contribuem com o sucesso da Shell Eco-marathon

O evento se tornou uma base de treinamento e recrutamento para engenheiros e outros talentos técnicos. Neste ano, os estudantes concorrentes tiveram a oportunidade de se encontrar e fazer relacionamentos com parceiros globais e plenos do evento, bem como com parceiros técnicos e locais, durante uma feira de carreiras de dois dias, patrocinada pela SAE International.

"O nível de colaboração, não apenas entre os estudantes, mas também entre nossos parceiros globais e locais do evento e as escolas, foi maior do que qualquer um pode imaginar", disse a gerente geral da Shell Eco-marathon Americas, Pam Rosen. "Esse evento reuniu tantas mentes brilhantes e promoveu novas ideias, amizades além-fronteiras e relacionamentos profissionais duradouros, que continuarão a abrir portas para esses futuros engenheiros e cientistas".

A Shell Eco-marathon Americas irá retornar a Detroit e ao Cobo Center pelo terceiro ano consecutivo de 28 a 30 de abril de 2017.

Shell Eco-marathon Americas faz parcerias em inovação com parceiros globais e plenos do evento:

Nossos parceiros globais ajudam a dar suporte aos três eventos regionais anuais no mundo. Para 2016, o evento da Ásia foi realizado em Manila, Filipinas, o evento das Américas foi realizado em Detroit, Michigan, EUA, e o evento da Europa será realizado em Londres, Inglaterra, Reino Unido. Esses parceiros, junto com nossos parceiros plenos do evento locais, prestam suporte em forma de vantagens adicionais durante o ano, expertise técnica no evento, bem como apoio ao programa geral dos estudantes e de experiência pública. Os parceiros incluem a Hewlett Packard Enterprise (HPE), HP Inc., o Linde Group, a Michelin, o Instituto de Pesquisa Southwest e a Fiat Chrysler Automobiles (FCA).

Parceiros técnicos e locais:

Nossos parceiros técnicos e locais prestaram um grande apoio em 2016, entre vantagens adicionais, subscrição direta, voluntários técnicos e gerais, porta-vozes, suporte logístico para os programas dos estudantes e de experiência pública. Esses esforços tornaram o evento deste ano ainda mais memorável para os estudantes participantes e visitantes do público. Eles incluem: Opportunity Detroit, Quicken Loans, Team Penske, Toyota Motor North America, Michigan Economic Development Corporation (MEDC), Hitachi, Ford Motor Company, The Henry Ford, Michigan Science Center, AutoZone, SAE International, Universal Technical Institute (UTI) e Motor Cities Heritage.

Sobre a Shell Oil Company 

A Shell Oil Company é subsidiária da Royal Dutch Shell plc, um grupo mundial de empresas de energia e proodutos petroquímicos, com operações em mais de 70 países. A Shell disponibiliza uma variedade diversificada de soluções de energia e produtos petroquímicos em todo o mundo. Elas incluem o transporte e comércio de petróleo e gás, comercialização de gás natural, produção e venda de combustíveis para navios e aeronaves, geração de eletricidade e prestação de consultoria em eficiência energética.

A empresa também produz e vende constituintes básicos petroquímicos a clientes industriais globalmente e está investindo para tornar competitivas, para uso em grande escala, as fontes de energia renováveis e de baixo teor de carbono. A empresa opera nos 50 estados dos EUA e emprega mais de 20.000 pessoas no país, que disponibilizam energia de uma maneira responsável.

Sobre a Shell Eco-marathon 

A Shell Eco-marathon é um programa global que desafia equipes de estudantes colegiais e universitários a projetar, construir e testar os veículos de maior eficiência energética. Com eventos anuais nas Américas, Europa e Ásia, essa competição inovadora desafia futuros cientistas e engenheiros a dirigir a maior distância com a menor quantidade de energia.

Saiba mais sobre o evento das Américas em www.shellecomarathon.us . Para mais informações sobre todos os eventos de 2016 no mundo, incluindo mais detalhes sobre as exigências para cada classe de veículo, regras oficiais e informações sobre os prêmios, por favor, visite o website da Shell Eco-marathon em www.shell.com/ecomarathon . 

Nota de advertência

As empresas nas quais a Royal Dutch Shell plc mantém investimentos diretos e indiretos são entidades separadas. Neste comunicado à imprensa, os nomes "Shell", "Shell group" e "Royal Dutch Shell" são usados algumas vezes por conveniência, onde referências são feitas à Royal Dutch Shell plc e suas subsidiárias em geral. Da mesma forma, as palavras "nós", "nos" e "nosso(a)" também são usadas para se referir a subsidiárias em geral ou a aqueles que trabalham para elas. Essas expressões são usadas onde nenhum propósito útil é servido por identificar a empresa ou empresas em particular. "Subsidiárias", "subsidiárias da Shell" e "empresas da Shell", como usadas neste comunicado à imprensa, se referem a empresas nas quais a Royal Dutch Shell tem o controle direto ou indireto, por ter a maioria dos direitos de voto ou o direito de exercer uma influência controladora. As empresas nas quais a Shell tem uma influência significativa mas não controla são chamadas de "empresas associadas" ou "associadas" e as empresas nas quais a Shell exerce um controle conjunto são chamadas de "empresas controladas em conjunto". Neste comunicado à imprensa, entidades associadas ou controladas em conjunto também são chamadas de "investimentos contabilizados por participação". A expressão "participação da Shell" é usada por conveniência, para indicar a participação acionária direta e/ou indireta da Shell (por exemplo, através de nossa participação acionária de 23% na Woodside Petroleum Ltd.) em um empreendimento, sociedade ou empresa, após a exclusão de todas as participações de terceiros.

Este comunicado à imprensa contém declarações prospectivas, relacionadas a condições financeiras, resultados de operações e negócios da Royal Dutch Shell. Todas as declarações outras que as declarações de fatos históricos são ou podem ser consideradas declarações prospectivas. Declarações prospectivas são declarações de futuras expectativas, que são baseadas nas expectativas e suposições atuais da administração e envolvem riscos e incertezas conhecidos e desconhecidos, que podem fazer com que resultados, desempenho ou eventos reais difiram substancialmente daqueles expressos ou implícitos nestas declarações. Declarações prospectivas incluem, entre outras coisas, declarações relacionadas à exposição potencial da Royal Dutch Shell aos riscos do mercado e declarações que expressam expectativas, convicções, avaliações, previsões, projeções e suposições da administração. Essas declarações prospectivas são identificadas pelo uso de termos e frases tais como "prever", "acreditar", "poderia", "avaliar", "esperar", "objetivos", "pretender", "pode", "objetivos", "perspectiva", "planejar", "probabilidade", "projeto", "riscos", "busca", "deveria", "alvo", "irá" e termos e frases similares. Há um número de fatores que podem afetar as futuras operações da Royal Dutch Shell e podem fazer com que esses resultados difiram substancialmente daqueles expressos nas declarações prospectivas incluídas neste comunicado à imprensa, incluindo (sem limitação): (a) flutuações de preços do petróleo cru e do gás natural; (b) mudanças na demanda por produtos da Shell; (c) flutuações do câmbio; (d) resultados de perfurações e de produção; (e) avaliações das reservas; (f) perda de participação de mercado e concorrência no setor; (g) riscos ambientais e físicos; (h) riscos associados à identificação de propriedades e alvos adequados para potencial aquisição e negociação e fechamento bem-sucedidos de tais transações. (i) o risco de fazer negócios em países em desenvolvimento e países sujeitos a sanções internacionais; (j) desenvolvimentos legislativos, fiscais e regulamentares, incluindo medidas regulatórias que incluem mudanças climáticas; (k) condições econômicas e financeiras do mercado em vários países e regiões; (l) riscos políticos, incluindo os riscos de expropriação e renegociação dos termos de contratos com entidades governamentais, atrasos ou avanços na aprovação de projetos e atrasos no reembolso de custos compartilhados; e (m) mudanças nas condições de comércio. Todas as declarações prospectivas contidas neste comunicado à imprensa são expressamente qualificadas em sua totalidade pelas declarações de advertência contidas ou referidas nesta seção. Os leitores não devem colocar confiança indevida em declarações prospectivas. Fatores adicionais que podem afetar resultados futuros estão contidos no formulário 20-F da Royal Dutch Shell, para o ano encerrado em 31 de dezembro de 2013 (disponível em www.shell.com/investor e www.sec.gov ). Esses fatores também devem ser considerados pelo leitor. Cada declaração prospectiva só é válida na data deste comunicado à imprensa, 25 de abril de 2016. Nem a Royal Dutch Shell, nem quaisquer de suas subsidiárias assumem qualquer obrigação de atualizar ou revisar publicamente qualquer declaração prospectiva, em consequência de novas informações, futuros eventos ou outras informações. À luz desses riscos, os resultados podem diferir substancialmente daqueles declarados, implícitos ou inferidos das declarações prospectivas contidas neste comunicado à imprensa.

Podemos ter usado certos termos, como recursos, neste comunicado à imprensa, que a Comissão de Valores Mobiliários (SEC -- Securities and Exchange Commission) dos Estados Unidos nos proíbe estritamente de incluir em nossos arquivos na SEC. Os investidores nos EUA são encorajados a considerar rigorosamente a divulgação em nosso Formulário 20-F, Arquivo No. 1-32575, disponível no website da SEC em www.sec.gov . Você também pode obter esses formulários na SEC pelo telefone 1-800-SEC-0330.

To view the original version on PR Newswire, visit: http://www.prnewswire.com/news-releases/universite-laval-retoma-titulo-da-shell-eco-marathon-americas-da-universidade-de-toronto-300257484.html

FONTE Shell Oil Company

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos