Bolsas

Câmbio

World Heart Federation: tabaco é responsável por mais de uma a cada dez mortes causadas por doenças cardiovasculares

World Heart Federation

Os dados abaixo são de responsabilidade das empresas envolvidas e não são produto jornalístico do UOL

GENEBRA, 29 de maio de 2018 /PRNewswire/ --

O tema do Dia Mundial sem Tabaco da Organização Mundial da Saúde em 31 de maio de 2018 é: "O fumo destrói corações. Escolha a saúde, não o tabaco." O tabagismo está associado a cerca de 7 milhões de mortes por ano e é um dos principais fatores de risco independentes de infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca e baixa qualidade de vida. A World Heart Federation está trabalhando com a OMS, por ocasião do Dia Mundial sem Tabaco, para elevar a conscientização sobre a conexão entre fumo e doenças cardiovasculares e para promover os benefícios imediatos e de longo prazo de parar de fumar. O Dia Mundial sem Tabaco em 31 de maio é uma iniciativa da Organização Mundial da Saúde. Este ano, terá como foco o aumento da conscientização sobre a relação entre fumo e doenças cardiovasculares. O fumo está associado a cerca de 7 milhões de mortes em todo o mundo a cada ano, diretamente relacionadas ao consumo do tabaco e à exposição indireta a ele.

Fumar prejudica os vasos sanguíneos e aumenta a espessura do sangue. Eleva a frequência cardíaca e a pressão arterial e substitui o oxigênio, tornando-se um importante fator de risco no desenvolvimento de doença coronariana, acidente vascular cerebral e doença vascular periférica. Além disso, é a segunda causa mais prevalente de doenças cardiovasculares depois da hipertensão arterial. Tendo em vista que as doenças cardiovasculares constituem a principal causa de mortes no mundo, a World Heart Federation (WHF) acolhe essa iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Apesar de o público em geral estar familiarizado com o impacto do fumo na saúde, a OMS destaca o fato de ele raramente ser levado em consideração como uma das principais causas de doenças cardiovasculares. De acordo com o presidente da WHF, o professor David Wood, o consumo do tabaco constitui o principal risco evitável para a saúde cardiovascular. "Por isso, é um dever nosso ajudar os pacientes com doenças cardíacas a pararem de fumar", explica. "O mesmo vale para os pacientes com alto risco de ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral. Fazendo isso, podemos ajudar todos os nossos pacientes a reduzirem os riscos. Porém, o mais importante é que precisamos elevar a conscientização e informar o público em geral sobre como o fumo afeta o coração e, fundamentalmente, sobre a importância de impedir que crianças e jovens comecem a fumar."

Quase 80% do número total de 1 bilhão de fumantes em todo o mundo vive em países de renda média e baixa, onde o ônus de doenças e mortes associadas ao fumo é muito maior. Com isso em mente, a WHF, por meio de sua política intitulada "Porque cada batimento cardíaco é importante", está promovendo uma pauta de maior acesso à assistência médica e também à prevenção, ao controle e ao gerenciamento de doenças cardiovasculares para todos, independentemente da situação ou da circunstância, com o objetivo de ampliar e melhorar a qualidade de vida.

"Acreditamos firmemente na necessidade de destacar continuamente os riscos do fumo à saúde dos nossos corações e da circulação", acrescenta o professor Wood. "Ao reunirmos profissionais da saúde, governos, instituições, o segmento e o público em geral em torno de uma causa em comum, podemos continuar educando sobre os perigos do fumo e de estilos de vida pouco saudáveis e promovendo a necessidade do acesso universal à assistência médica." Para auxiliar nessa educação, a WHF lançará em breve dois folhetos informativos sobre parar de fumar: um para o público em geral e outro para profissionais.

No dia 29 de setembro, a WHF comemorará o Dia Mundial do Coração com o objetivo de elevar a conscientização sobre a importância da boa saúde cardiovascular. Uma das suas mensagens principais trata dos benefícios imediatos e de longo prazo para a saúde quando se para de fumar:

Em apenas 20 minutos, a pressão arterial e a frequência cardíaca diminuem. Doze horas depois de parar de fumar, os níveis de monóxido de carbono no sangue caem e retornam a valores normais. Entre duas e 12 semanas, a circulação e a função pulmonar terão aumentado. Ao longo dos primeiros nove meses, diminuem a tosse e a falta de ar. Um ano depois de parar de fumar, o risco de contrair uma doença coronariana é aproximadamente metade do de um fumante. Entre cinco e 15 anos após parar de fumar, o risco de sofrer um acidente vascular cerebral cai para o mesmo de um não fumante. Quinze anos depois de parar de fumar, o risco de sofrer de uma doença coronariana equivale ao de um não fumante. Logo:  https://mma.prnewswire.com/media/696965/World_Heart_Federation_Logo.jpg

 

FONTE World Heart Federation

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos