PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Após tsunami, Bolsa do Japão despenca 10,5%

Da Redação, em São Paulo

15/03/2011 08h20

Ações e outros ativos de risco desde o dólar australianos até commodities como cobre e petróleo despencaram nesta terça-feira, enquanto ativos considerados mais seguros como Treasuries dispararam com a piora da crise nuclear do Japão.

O aumento nos níveis de radiação em uma usina no nordeste do país atingida pelo tremor gerou uma enorme venda de ações japonesas e criou efeitos de pânico com estocagem de alimentos e outros suprimentos em Tóquio.

Em um momento na sessão, os futuros do Nikkei tombaram 16% antes de reduzir as perdas para queda de 10%. Enquanto isso, o índice Nikkei fechou em baixa de 10,55%, a maior queda diária desde outubro de 2008.

 

O Nikkei perdeu cerca de 17% de seu valor desde o terremoto e tsunami que atingiram o Japão na sexta-feira, causando explosões em várias usinas nucleares e forçando milhares de fábricas a fechar as portas.

O índice que reúne mercados da região Ásia-Pacífico exibia forte queda de 3,12% às 7h28 (horário de Brasília). Enquanto isso, o índice de ações globais recuava 2,28%.

Em Sydney, a Bolsa fechou em baixa de 2,11%, com ações de mineradoras de urânio ampliando perdas enquanto alguns países indicaram que estão repensando planos para a energia nuclear após o desastre japonês.

"É como precificar um risco desconhecido. Os comentários do Japão levaram o mercado a uma situação crítica", disse Shane Oliver, diretor de estratégia de investimento da AMP Capital, em Sydney.

A Bolsa de Seul caiu 2,4%, liderada pela projetista de usinas nucleares Kepco Engineering & Construction, que encerrou em queda de 12,71%.

Em Xangai, a Bolsa recuou 1,41%. A Bolsa de Hong Kong se desvalorizou em 2,86% e Taiwan teve perda de 3,35%. O mercado em Cingapura  encerrou em baixa de 2,8%.

"As pessoas estão com aversão ao risco, então os investidores estão liquidando ativos e posições incluindo petróleo e ouro", disse Tetsu Emori, gerente de fundos na Astmax, sediada em Tóquio.

(Com informações da Reuters)

PUBLICIDADE