IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Cachaça


Nome no rótulo faz preço de cachaça Havana quase dobrar

Aiana Freitas

Do UOL, em São Paulo

06/06/2012 13h20Atualizada em 03/07/2014 15h38

Produzida desde 1943 em Salinas (MG), a cachaça Havana sempre é apontada pelos especialistas como uma das melhores do país. O preço da garrafa facilmente chega a R$ 400 --e, nesse caso, o peso do nome é que determina o valor.

Em 2001, a família de Anísio Santiago tentou registrar o nome Havana para seu produto, mas esbarrou em uma notificação da Havana Club, produtora do rum cubano, que queria exclusividade sobre a marca. A partir daquele ano, a cachaça Havana passou a ser vendida com o nome Anísio Santiago.

Em 2005, a família de Santiago conseguiu uma liminar permitindo a volta da venda do produto com o nome Havana. Em 2011, a briga na Justiça teve fim, e a família conseguiu registrar a cachaça no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial).

'Quem compra Havana compra o mito'

Atualmente, porém, as duas marcas são vendidas. Na prática, referem-se exatamente ao mesmo produto. Das cachaças vendidas pela fazenda da família, 80% saem de lá com o nome Anísio Santiago estampado no rótulo e 20%, com o nome Havana, segundo Roberto Carlos Morais Santiago, neto do produtor Anísio Santiago.

A mudança de nome faz toda diferença no preço do produto.  Enquanto a garrafa da cachaça vendida sob o nome Anísio Santiago custa cerca de R$ 250, a Havana sai por pelo menos R$ 400.

"Quem compra a Havana compra o mito, a lenda", justifica Roberto Carlos Morais Santiago.

Mais Cachaça