Bolsas

Câmbio

Site fatura R$ 400 mil por mês com cachaças que custam de R$ 10 a R$ 2.500

Larissa Coldibeli

Colaboração para o UOL, em São Paulo

A Cachaçaria Nacional é uma loja virtual especializada na bebida tipicamente brasileira que fatura R$ 400 mil por mês com a venda de cerca de 5.000 garrafas. O lucro não foi divulgado. Entre as opções disponíveis estão rótulos de até R$ 2.500, caso da cachaça Vale Verde, de Betim (MG), que é envelhecida por 18 anos em barris de carvalho.

Outro produto nobre é a Cachaça Weber Haus Lote 48 Extra Premium, envelhecida por seis anos em barris de carvalho e mais seis em barris de bálsamo e que custa R$ 1.990. O alambique que produz, em Ivoti (RS), exporta para 16 países.

Apesar de trabalhar com produtos especiais, o maior volume de vendas da loja online é de cachaças com preços entre R$ 50 e R$ 60, como a Princesa Isabel, de Linhares (ES), envelhecida em barris de jaqueira, que sai por R$ 59,90.

A bebida mais barata disponível é a cachaça Matuta, de Areia (PB), vendida na latinha de alumínio de 270 ml por R$ 10. Ao todo, são mais de 1.000 cachaças e 600 outros produtos, entre copos, taças, barris, licores e doces como goiabada e bananada, feitos pelos mesmos produtores das cachaças.

Nesta quarta-feira (13), é celebrado o Dia da Cachaça, em alusão a uma revolta popular de 1661 que levou a corte portuguesa a liberar a bebida, até então proibida. 

Começou com R$ 5.000

A empresa foi aberta em 2012 pelos sócios Rafael Araújo, 32, e Marcos Paolinelli, 35, com investimento de cerca de R$ 5.000. Paolinelli, na época, era gerente de uma concessionária de automóveis, mas já vendia cachaças artesanais informalmente. Araújo, que é advogado, dava consultoria para investidores em leilões de imóveis.

"A ideia de negócio surgiu porque, na época, houve o boom dos e-commerces de vinho, mas não havia nada voltado para cachaça. Nosso objetivo é aproximar os pequenos produtores dos clientes", afirma Araújo.

Em 2015, a empresa lançou um clube de assinaturas, que hoje possui 560 assinantes. Por R$ 99,90 por mês, eles recebem em casa duas garrafas grandes de cachaças selecionadas e uma miniatura. Nas redes sociais, são compartilhados vídeos sobre a origem e a forma de produção das bebidas selecionadas.

Em 2016, com a necessidade de mudar de endereço para ampliar o espaço de estoque, os sócios investiram também em uma loja física, em Belo Horizonte. "A ideia é que ela seja um teste para nosso projeto de franquias", diz Araújo.

Em 2016, a empresa faturou R$ 2,6 milhões. Para 2017, a expectativa é chegar a R$ 5 milhões. O lucro não foi divulgado.

Loja virtual pode concorrer com franquia

A empresa se destaca como um canal de distribuição, segundo o professor de estratégia de negócios da FGV (Fundação Getúlio Vargas) Alberto Ajzental.

"Este é um segmento muito pulverizado, então reunir os pequenos produtores é uma vantagem. As pessoas que já consomem cachaça vão saber onde encontrar os produtos, assim como os curiosos e iniciantes. E os produtos premium, mais caros, ajudam a trazer prestígio", afirma. 

Ele diz, no entanto, que as franquias podem vir a concorrer com a loja virtual.

"E-commerce e loja física são negócios totalmente diferentes. As lojas físicas não conseguem ter todos os produtos disponíveis por uma questão de espaço, e a precificação deve ser outra. Pode haver um conflito com futuros franqueados. É uma decisão estratégica", declara.

Onde encontrar:

Cachaçaria Nacional: www.cachacarianacional.com.br

Bartender inglês cria drinque de cachaça com fruto da caatinga

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos