Vestido de noiva e casaco de pele para cachorro rendem R$ 50 mil a grife

Larissa Coldibeli

Do UOL, em São Paulo

Casaco de pele sintética, roupas com paetês para noite, calça jeans e, até, vestido de noiva –peças que poderiam fazer parte do guarda-roupa de qualquer mulher–, são fabricadas para vestir cachorros pela empresa de Carolina Kanashiro, 32, a Crystal Dog, de Florianópolis (SC).

A marca produz roupas de luxo para cães que são vendidas em pet shops de todo o Brasil e também nos Estados Unidos, na França e na Argentina por preços que vão de R$ 30 a R$ 500. O faturamento médio mensal é de R$ 50 mil.

Outra empresa que aposta nesse mercado é a  Zee.Dog, do Rio de Janeiro (RJ). Entre os produtos que ela comercializa estão bandanas e coleiras com estampas de caveira, oncinha, listras e, até, uma coleira com sistema de amortecimento. Os preços vão de R$ 18 a R$ 74.

O mercado de luxo para cachorro ainda representa pouco no setor de produtos para animais de estimação, menos de 1% do faturamento total, segundo a Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação).

Mas, de acordo com o  presidente-executivo da entidade, José Edson Galvão de França, o interesse dos donos em oferecer produtos de padrão superior para seus pets vem crescendo.

"A tendência de humanização e posse responsável faz com que os donos optem por produtos que proporcionem maior bem-estar para seus pets. Os cuidados com os animais que vivem dentro de casa implicam muitas vezes em maiores gastos, pois são necessários produtos que adaptem a vida do pet ao ambiente interno, como tapetes higiênicos."

Foi a paixão pelos seus três cachorros de estimação Melody, da raça westie, e Wind e Bob, da raça scottish, que motivou Kanashiro a abrir o seu negócio. Formada em moda, ela resolveu usar a experiência de sua atuação no varejo feminino para investir no mercado pet.

"Eu gasto muito com meus cachorros, sempre que viajava eu trazia presentes pra eles e sei que existem pessoas que fazem o mesmo. Fiz uma pesquisa e percebi que não havia uma marca de luxo brasileira forte no mercado e montei a Crystal Dog", conta Kanashiro.

Além de terem motivado a criação da empresa, eles também são modelo da marca.

A confecção foi criada em 2009 com investimento inicial de R$ 20 mil. A empresária viaja duas vezes por ano para o exterior em busca de tendências de moda, como tecidos e estampas que estarão em alta na próxima estação. São lançadas duas coleções anuais – primavera-verão e outono-inverno.

Porém, as roupas para animais precisam de cuidados específicos para garantir o conforto dos bichinhos, explica a empresária. "Trabalho muito com malhas, só uso peles ecológicas (sintéticas), não uso couro natural, apenas tecidos com elastano, que não atrapalham os movimentos", diz.

Os preços para o consumidor final variam de R$ 30 a R$ 300. Os itens mais baratos são calcinhas para fêmeas no cio e bandanas, o mais caro é o casaco de pele com aplicação de strass (peça que imita o diamante).

A empresa também faz camas para cachorros com estampas diferentes e aplicações de cristais, que custam de R$ 200 a R$ 500.

Empresa foi criada com financiamento de site coletivo

A Zee.Dog se especializou no comércio de bandanas e coleiras de luxo, com estampas de caveira, oncinha, listras e, até, uma coleira com sistema de amortecimento. Os preços vão de R$ 18 a R$ 74.

A empresa foi idealizada em 2010 pelos sócios Thadeu Diz, Felipe Diz, Rodrigo Monteiro e Gustavo Castello Branco, todos de 30 anos. Eles arrecadaram US$ 10 mil por um site de crowdfunding – financiamento coletivo –, entre amigos e desconhecidos que apoiaram a ideia.

Foram para a China encontrar fornecedores e, no Brasil, procuraram investidores. Em 2012, conseguiram um aporte de R$ 2 milhões da DXA Investiments e lançaram a empresa no fim do ano passado.

"Desenvolvemos os produtos no Brasil, mas eles são fabricados na China porque lá conseguimos materiais de melhor qualidade por um preço menor", afirma Thadeu Diz, sócio e diretor criativo.

Em cinco meses de operação, a Zee.Dog tem  produtos em mais de 400 lojas do país e já exporta para Europa, Ásia, México e Estados Unidos, graças à participação em feiras internacionais do setor. A meta de faturamento em 2013 é de RS 18 milhões.

Segundo Diz, o principal diferencial da empresa é o posicionamento da marca. "Nós vendemos um estilo de vida, a marca é urbana, mas pra quem vive a vida do lado de fora, na rua. Por isso, desenvolvemos produtos também para os donos, como skates, longboards e capinhas para celular."

Quem quer empreender no segmento de luxo para animais de estimação precisa tomar alguns cuidados, segundo Vanessa Versiani, consultora em desenvolvimento de marcas de luxo.

"É necessário avaliar a realidade geográfica que pretende atender, adequar o tipo de produto que irá oferecer e apostar em diferenciais em relação à concorrência. O cuidado com o cliente deve ser duplicado, pois é necessário proporcionar uma experiência excepcional para o dono e para o animal", declara Versiani.

A indústria de produtos para animais de estimação teve faturamento total de R$ 14,2 bilhões em 2012. Para 2013, a expectativa também é positiva. A Abinpet espera crescimento de 10%.

De acordo com a associação, o Brasil é o quarto país do mundo em população total de animais de estimação e o segundo em cães e gatos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos