PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Telexfree acusa perícia de ser parcial e de usar 'meme' em processo no Acre

Do UOL, em São Paulo

20/06/2015 06h00Atualizada em 22/06/2015 14h22

A Ympactus, empresa que representa a Telexfree no Brasil, acusa a consultoria Ernst & Young de parcialidade na produção de um laudo sobre as atividades da empresa e questiona a inclusão de 'memes' divulgados pela internet na perícia.

A Telexfree, que vende planos de minutos de telefonia pela internet (VoIP na sigla em inglês), é investigada por suspeita de pirâmide financeira. A empresa nega a acusação e afirma que trabalha com “marketing multinível”.

Em fevereiro deste ano, a Ernst & Young apresentou à Justiça uma perícia sobre as atividades da Telexfree. Em tese, o laudo deveria ser independente, ou seja, não poderia favorecer nem prejudicar intencionalmente a empresa que está sendo investigada.

A Telexfree afirma, porém, que a consultoria teria trabalhado junto com o Ministério Público e favorecido o órgão, que apresentou a denúncia contra a companhia no Acre.

"Há elementos que comprovam a parcialidade. Eles colocaram memes [no laudo]. Como é que você coloca um meme de internet em um laudo que deve ser imparcial?", questiona o advogado da Telexfree/Ympactus, Wilson Furtado Roberto.

A empresa acusada de pirâmide financeira pediu que a consultoria esclarecesse alguns pontos do laudo. Em maio, a Ernst & Young apresentou um documento complementar. Agora, a Telexfree pede que a consultoria seja afastada do caso e substituída por outra, independente.

Segundo o advogado da Telexfree/Ympactus, a juíza do processo, Thais Kalil, precisa dar 10 dias para o MP se pronunciar judicialmente sobre o pedido da Ympactus.

Procurado pelo UOL, o Ministério Público do Acre não se pronunciou até a publicação deste texto.

A Ernst & Young informou, por meio da assessoria de imprensa, que não pode comentar processos em andamento.