Bolsas

Câmbio

Inflação em 2017 foi maior em Goiânia e Brasília, e menor em Belém e BH

Do UOL, em São Paulo

A inflação oficial fechou 2017 em 2,95% considerando o país todo, mas esse valor variou de uma região para outra.

Goiânia e Brasília foram os locais com a maior alta de preços (3,76%). Em Goiânia, o destaque foi a conta de luz, que subiu 30,54%, e a gasolina, com alta de 15,28%. Já em Brasília, os destaques foram a gasolina e o ônibus urbano, com alta de 17,86% e 25%, respectivamente.

Na outra ponta, Belém foi a região com a inflação mais baixa: 1,14%. Por lá, o que ajudou bastante foi a queda no preço do feijão-carioca (-46,21%) e do açúcar cristal (-35,62%). Belo Horizonte aparece na sequência com a segunda inflação mais baixa: 2,03%.

Leia também:

Na região metropolitana de São Paulo, os preços avançaram 3,63% no ano passado. No Rio, 3,03%.

Os dados do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) foram divulgados nesta quarta-feira (10) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Veja como ficou a inflação em 2017 por região (da maior para a menor):

  • Goiânia: 3,76%
  • Brasília: 3,76%
  • São Paulo: 3,63%
  • Curitiba: 3,42%
  • Recife: 3,31%
  • Rio de Janeiro: 3,03%
  • Vitória: 2,55%
  • Porto Alegre: 2,52%
  • Fortaleza: 2,27%
  • Salvador: 2,14%
  • Campo Grande: 2,11%
  • Belo Horizonte: 2,03%
  • Belém: 1,14%

Mãe conta como cria sete filhos com um salário mínimo

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos