ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Voo permite cães a bordo por US$ 9.000, com salmão e frango para os pets

Do UOL, em São Paulo

13/04/2018 04h00

Ding Dong e Fun Fun, dois cachorros da raça yorkshire terrier, ambos de 12 anos de idade, sabem como curtir a vida em alto estilo. Os mimados animais de estimação e a dona da dupla, Zoe Man, de 43 anos, voaram de Hong Kong para o Japão neste ano para aproveitar um feriado que durou cinco dias. Eles foram na cabine de passageiros, e não no compartimento de cargas, como é o comum. 

Durante o voo, a refeição servida aos pets foi salmão grelhado e tender de frango. Man planeja fazer mais duas viagens dessas ainda em 2018 em seu jato particular, tendência crescente entre donos de aeronaves que levam seus pets para curtir feriados especiais. O custo para esse luxo é de, no mínimo, US$ 9.000.

Leia também:

"Será que os cachorros sentem a diferença?"

“Eu já me perguntei por que gastar tanto com eles”, disse à agência de notícias Reuters a vice-presidente de uma indústria têxtil locada em Hong Kong. No ano passado, ela desembolsou US$ 30,6 mil para levar Din Dong e Fun Fun para uma viagem até Osaka, no Japão.

“Gostaria de saber se eles sentem a diferença. Mas eu acho que sim, devem ter percebido que o ar é diferente”, afirmou a executiva, sentada ao lado de Fun Fun, que vestia uma jaqueta acolchoada.

Pets também acumulam milhas

A companhia Life Travel, que organizou a recente viagem de Man, passou a oferecer a possibilidade de donos levarem seus cachorros na rota entre Hong Kong e Japão, até aqui o único destino disponível para pets desfrutarem desse serviço de luxo.

Em voos comerciais, animais costumam ir no compartimento de bagagens, mas em jatos privados é possível que bichos pequenos sigam no colo dos donos e os grandes no chão das aeronaves.

O serviço da Live Travel para curtir um fim de semana em Okinawa, no Japão, custa a partir de US$ 9.000 e até oferece “milhas de pets” como um incentivo adicional. Água e refeições são servidas tanto para donos quanto para os animais e, ao chegar ao destino, os clientes são levados para uma acomodação adequada que permita hospedagem com os bichinhos.

Gastos com bichos na China crescem 20% ao ano

Gastos de consumidores com seus pets na China vêm crescendo cerca de 20% ao ano e deve totalizar um mercado de US$ 7 bilhões em 2022, prevê a empresa de pesquisa de marketing Euromonitor International. Nos Estados Unidos, por exemplo, o crescimento gira em torno de 2% ao ano.

A companhia aérea chinesa Hainan Airlines disse em janeiro que estava testando um esquema para permitir que passageiros levem com eles pequenos bichos em algumas rotas domésticas.

Já a Life Travel, que organizou três viagens ao Japão no ano passado, quer fazer 13 viagens em 2018 e 50 em 2019. O plano é oferecer ainda neste ano rotas para outros países, incluindo os Estados Unidos, mas destinos com políticas e requisições mais rígidas, como a Austrália, ainda estão fora de questão.

Embora a companhia venha recebendo pedidos para permitir viagens com gatos, tartarugas, papagaios e até hamsters nesses voos de luxo, o fundador da Life Travel, Raymond Chung, disse que, por enquanto, a empresa vai trabalhar apenas com cachorros. “Existe um enorme mercado por aí. Nós só conseguimos enxergar a demanda e começar um pouco antes que os outros”, afirmou o empresário.

(Com Reuters)

Como é o teste de um avião novo, que inclui até queda de barriga

UOL Notícias

Mais Economia