ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Site erótico tem chicote de 50 tons e vibrador de R$ 1.700 que obedece voz

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/11/2018 04h00

A seção sado/fetiche, com itens que ganharam visibilidade depois de aparecem na trilogia “50 Tons”, como algemas e chicotes, é uma das categorias de produtos eróticos à venda na Apimentou, uma plataforma virtual de vendas de sex shops. Outro produto de destaque é um vibrador de R$ 1.700 que se mexe conforme a música ou a voz do parceiro.

O portal foi lançado em setembro, no Rio de Janeiro, e entrou no ar para o público em meados de outubro.

Victor Morete, 29, um dos quatro sócios, disse que a empresa tem 25 lojistas cadastrados e uma plataforma com 700 produtos à venda. “Até o final do ano, a meta é chegar a mil produtos na plataforma”, afirmou.

Leia também:

Segundo ele, a empresa investiu R$ 500 mil, entre desenvolvimento da plataforma, comunicação e lançamento do app. A expectativa é chega a um faturamento de R$ 2,5 milhões até 2021. O prazo de retorno do investimento é de 30 meses.

Sobre cada venda, a Apimentou cobra uma taxa de 25% do lojista. As vantagens para os lojistas são, segundo a empresa, divulgação dos produtos, isenção de custos fixos, ampliação da área de atuação e segurança e transparência nas vendas. O pagamento online é realizado automaticamente para o lojista, na hora da compra pelo cliente, por meio de conta separada do portal.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme), há cerca de 11 mil pontos de vendas de produtos eróticos no país, sendo 90% de micro e pequenas empresas.

O setor gera 100 mil empregos diretos e indiretos e fatura mais de R$ 1 bilhão por ano. São cerca de 15 mil itens diferentes à disposição do consumidor.  Levantamento da Abeme mostra que apenas 17% da população já comprou algum item erótico. São Paulo é o maior mercado consumidor, com 33% das vendas.

Plataforma dividida em categorias

Segundo Morete, a empresa “aposta no sucesso” da seção sado/fetiche, com itens que remetem à trilogia “50 Tons” (livros e filmes “Cinquenta tons de cinza”, “Cinquenta tons mais escuros” e “Cinquenta tons de liberdade”), como chicotes, algemas, coleiras, mordaças, separador de pernas e prendedores de mamilos.

A plataforma da Apimentou está dividida em categorias, para facilitar as buscas e as compras. Além da sado/fetiche, há acessórios, lingeries, cosméticos, infláveis, masturbadores, pênis e vibradores, entre outros.

“Acreditamos que a plataforma é a melhor solução para aquele lojista que, apesar de vender bem, não sabe como entrar no mercado digital”, afirmou Morete.

Marketplace traz audiência e público certeiro, diz analista

Para Henrique Teixeira, 47, analista de negócios do Sebrae-SP, o marketplace é uma estratégia “interessante” para o pequeno lojista. “Muitas vezes ele não tem tempo para trabalhar sua presença digital de forma adequada nem dispõe de todos os recursos para desenvolver ou contratar uma plataforma de e-commerce à altura do seu negócio”.

Segundo ele, o lojista que anuncia em marketplace tem uma “audiência grande e certeira”. “No ecommerce, ele rompe a fronteira física do estabelecimento e atinge o público interessado realmente no tipo de produto que ali está sendo anunciado”.

Apesar de a responsabilidade de divulgação, atração de clientes e manutenção da plataforma ficar a cargo do marketplace, Teixeira disse que o sucesso do lojista depende também do seu foco no negócio, como colocar boas imagens de divulgação e textos e anúncios bem elaborados.

“É importante lembrar que a venda está sendo feita por uma imagem e, se ela não agradar o cliente, dificilmente o lojista terá uma segunda oportunidade para causar uma boa impressão”, declarou.

O analista de negócios destacou também outros dois fatores que devem ser levados em consideração pelo lojista: atenção ao cliente e a gestão financeira da empresa.

“Normalmente, o cliente que compra online espera uma resposta rápida sobre o andamento do pedido, código de rastreio, etc. Portanto, a logística de entrega desse produto deve ser eficaz. Outro ponto é a formação do preço do produto, para que o lojista tenha o resultado esperado, uma vez que a comissão do Apimentou é de 25% do valor da venda”, afirmou.

Onde encontrar:

Apimentou - http://www.apimentou.com.br/ 

Dono de sex shop evangélico faz papel de terapeuta de casais

UOL Entretenimento

Mais Economia