IPCA
0.01 Jun.2019
Topo

Mídia e Marketing


Ambev lança Skol Puro Malte

Divulgação
Imagem: Divulgação

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2018-12-19T10:01:19

2018-12-20T10:00:41

19/12/2018 10h01Atualizada em 20/12/2018 10h00

A Ambev entra de vez na guerra das cervejas "puro malte". Depois de lançar a Skol Hops, em setembro deste ano, a cervejaria apresenta mais uma cerveja sem milho ou cereais não maltados entre seus ingredientes: a Skol Puro Malte. 

O novo produto, que concorrerá com marcas como Heineken, Eisenbahn e Serra Malte, estará disponível a partir de janeiro em latas de 269 ml e 350 ml e garrafas de 600 ml. A nova Puro Malte terá preços similares aos da cerveja Pilsen, tradicional da marca, que continuará sendo vendida normalmente.

A receita nasceu de um processo exclusivo de produção que levou cinco anos para ser desenvolvido no Centro de Inovação e Tecnologia (CIT) da Ambev.

"Notamos um desejo do consumidor por uma cerveja 'puro malte', mas mais democrática. É isso que a marca traz com esse lançamento. Queremos deixar o consumidor escolher qual a sua preferência", afirmou Maria Fernanda Albuquerque, diretora de marketing de Skol.

"Quando iniciamos o processo para criar a Skol Puro Malte, nossa principal preocupação foi desenvolver um produto único, que não fosse pesado e que pudesse ser consumido em diferentes ocasiões", disse Leon Maas, um dos mestres-cervejeiros que trabalharam no desenvolvimento da receita.

A lei brasileira permite que as cervejarias utilizem até 45% de "cereais não maltados" nos produtos -e isso transforma a escolha entre "cervejas puro malte ou não" em uma verdadeira guerra entre as marcas. 

Algumas cervejas premium, como Stella Artois e Budweiser, não são puro malte. Já marcas como Bavária Premium e Kaiser Gold entram na lista da 'pureza'. Segundo a própria Ambev, o milho é escolhido pelo mestre-cervejeiro para deixar as cervejas "mais leves e refrescantes", e a quantidade de cereais não-maltados varia muito de acordo com o sabor que se quer atingir. 

Inovação em casa

Em 2015, a Skol já havia colocado no mercado sua primeira "puro malte", a Ultra. Mas o produto tinha como foco um tipo de público específico: a comunicação era voltada para consumidores que praticavam atividade física, pelo fato da cerveja ter menos calorias do que os outros produtos da marca (uma lata de 269 ml da Pilsen, por exemplo, tem 126 calorias, enquanto uma lata da Ultra tem menos de cem calorias, em 310 ml). O novo produto pretende alcançar todos os consumidores.

A novidade fortalece a Skol como marca de inovação da Ambev -e, por que não se dizer, de laboratório de lançamentos. "As marcas que se arriscam mais têm mais possibilidade de sucesso. Olhamos para o futuro e tentamos sempre chacoalhar o mercado", declarou Maria Fernanda. 

Em uma campanha institucional lançada no começo de dezembro, a Skol já preparava o terreno para mais uma novidade. O comercial lembra que a marca inovou com a lata de alumínio, lançou as embalagens long neck, de 269 ml e de litro, além de recordar suas submarcas Beats e Hops. A campanha da Skol Puro Malte estreia no dia 8 de janeiro e terá ações programadas até, no mínimo, fevereiro.

Assista ao comercial:

O "não-lançamento" nas redes sociais

O possível lançamento de uma Skol "puro malte" já estava agitando as redes sociais desde o final de semana. Publicações de consumidores comentavam sobre o fato de alguns consumidores terem encontrado uma "nova lata" misturada nas embalagens tradicionais da marca. Segundo a Ambev, a ação "fez parte da estratégia da marca para despertar a curiosidade em torno do produto".

Brasileiro quer mais cerveja - e melhor

O consumidor brasileiro está cada vez mais exigente. Retrato disto são recentes pesquisas apresentadas pelas consultorias Kantar Wolrdpanel e Mintel. A primeira, do começo de dezembro, mostra que o consumo de cerveja cresceu no último ano no Brasil. 

Em 2016, a bebida era consumida em 62,3% dos domicílios brasileiros, percentual que subiu para 62,7% no ano passado e para 63,4% neste ano. A segunda, lançada no meio de novembro, aponta que o perfil do consumidor brasileiro de cerveja tem mudado: para 57% dos consumidores brasileiros, é melhor consumir pequenas quantidades de cerveja mais caras a grandes quantidades de cerveja de menor custo. 

Isso justifica os resultados do terceiro trimestre de 2018, divulgados pela Ambev. O lucro da multinacional caiu no período -a receita líquida, porém, cresceu. A gigante registrou um lucro líquido de R$ 2,907 bilhões no terceiro trimestre de 2018, queda de 10,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. No Brasil, o volume caiu 3,3%, mas a receita por hectolitro subiu 5,6%, resultando em um aumento da receita líquida de 2,1%.

A pesquisa da Mintel ainda abordou as motivações para experimentar novos tipos de cerveja: 42% dos consumidores abordaram "um novo sabor/sabor inovador" -razão mais evidente entre consumidores de 18 a 24 anos, sendo citada por 53% deles. 

Este é a roda que a Skol quer girar, com as mudanças e novidades em sua linha Beats e os lançamentos de Hops e Puro Malte. 

Errata: o texto foi atualizado
A versão inicial deste texto informava, incorretamente, que a cerveja Bohemia não é puro malte. A informação foi corrigida.

Mais Mídia e Marketing