IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Reforma da Previdência


Governo já estuda relator da Previdência na comissão especial, diz Joice

A deputada federal, Joice Hasselmann (PSL-SP) - Aloisio Mauricio /Fotoarena/Folhapress
A deputada federal, Joice Hasselmann (PSL-SP) Imagem: Aloisio Mauricio /Fotoarena/Folhapress

Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

28/03/2019 18h30Atualizada em 28/03/2019 18h57

A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou hoje que o governo já estuda nomes para relator da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara que analisará o tema depois que a proposta passar pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). A declaração foi dada após a confirmação do deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG) como relator da reforma na CCJ.

Nós já estamos discutindo quem será esse nome que vai poder ocupar essa relatoria na comissão especial. (...) agora a gente já começa a costura para saber quem é que vai comandar, quem é que vai ser o relator na comissão especial.
Joice Hassleman, líder do governo no Congresso

Após a aprovação da proposta na CCJ, o presidente da Câmara criará uma comissão especial, que será responsável pela análise do conteúdo e por apresentar o projeto final para votação no Plenário.

Para PEC (Proposta de Emenda à Constituição) ser aprovada, são necessários ao menos 308 dos 513 votos em duas votações.

Deputada articulou trégua entre Bolsonaro e Maia

Joice participou pela manhã de uma reunião entre o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ministro Sérgio Moro (Justiça), cuja relação estava desgastada pela discussão sobre o andamento do pacote de medidas da segurança. Após o encontro, Joice se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro para tentar apaziguar a crise política.

Depois, ela voltou para se reunir com Maia e o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil). Com o término do encontro, Joice e Onyx foram à Câmara se reunir com membros da Casa e o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), para bater o martelo sobre o relator.

"A paz foi selada. O pessoal está brincando que eu virei a ministra da Pacificação Nacional. Nosso presidente Bolsonaro deu declarações bastante importantes que fizeram o dólar cair e a Bolsa subir, dizendo o que é o óbvio: página virada", disse em relação ao desgaste político entre o presidente da Câmara e Bolsonaro em torno da responsabilidade pela articulação da PEC.

Mais cedo, Bolsonaro afirmou que suas discussões com Maia não passaram de "chuva de verão" e mandou um abraço para o parlamentar. O presidente da Câmara, por sua vez, disse que a tensão entre o Executivo e o Legislativo é "assunto encerrado".

Entenda a proposta de reforma da Previdência em 10 pontos

UOL Notícias

Mais Reforma da Previdência