IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Mídia e Marketing


Comercial do BB custou R$ 1 milhão, e não R$ 17 milhões, dizem entidades

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/05/2019 07h47

A campanha do Banco do Brasil, vetada pelo presidente Jair Bolsonaro no mês passado, continua rendendo discussões. Agora, foi a vez da Fenapro (Federação Nacional das Agências de Propaganda) e da Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap) se posicionarem sobre a polêmica.

As entidades apontam um equívoco em comentários das redes sociais e publicado em alguns veículos da imprensa, que apontam que o comercial teria custado R$ 17 milhões. As associações reiteram que o comercial teria custado R$ 1 milhão, informação confirmada pela agência.

O comunicado, assinado por Glaucio Binder, presidente da Fenapro, afirma que o valor "pode ser verificado por meio das notas fiscais de prestação de contas em poder do próprio Banco do Brasil".

Ainda segundo o texto, as "agências de publicidade que atendem contas públicas atuam em sintonia com a legislação e as regras dos órgãos de controle, como a CGU".

"É fundamental, antes de propagar informações imprudentes, que se busque entender como funciona a atividade e a complexidade de uma campanha ou plano de mídia", afirma o comunicado.

Com isso, os outros R$ 16 milhões do investimento realizado pelo Banco do Brasil contemplam o investimento em mídia, na compra de espaços comerciais em TV, internet e rádio - parte dele já utilizado.

Segundo o Banco do Brasil, "o valor total está alinhado com o que se pratica no mercado para iniciativas publicitárias com a mesma abrangência e finalidade".

Bolsonaro manda tirar do ar propagando Banco do Brasil

Band Notí­cias

Mais Mídia e Marketing